O cidadão contra ele mesmo

É óbvio para todos nós que o nosso governo é muito eficiente em cuidar de todas as necessidades do cidadão. Quem já esteve numa fila da emergência do SUS, estudou em escola pública ou já passou pela burocracia de qualquer departamento público sabe disso.

Porém, não contente em nos prover com a melhor saúde do mundo e uma educação a nível da Suécia, o governo também precisa se preocupar com outros perigos invisíveis que ameaçam a população. Estes perigos são tão, mas tão grandes que os políticos simplesmente não podem ficar sem fazer nada sobre eles.

Que perigos são esses? Onde estão? Como atingem o cidadão? Descubra hoje no Globo Repórter Direitas Já!
I. A jogatina
É indiscútivel o perigo iminente que a jogatina traz para a vida do cidadão. Ao apostar, VOLUNTARIAMENTE, o SEU PRÓPRIO DINHEIRO em jogos de azar, ele acaba cometendo diversos crimes. Por que? Por que o dinheiro da jogatina quase sempre não vai para o bolso dos burocratas do governo. Por si só isso já é um crime de lesa-humanidade inafiançável. Outro crime terrível é o sustento de donos de estabelecimentos onde BEBIDAS ALCÓOLICAS (que horror!) são vendidas.

Máquinas caça-níqueis apreendidas. Mais uma vez o dia foi salvo pelas forças de segurança do Estado, que impediram o cidadão de gastar voluntariamente seu próprio dinheiro com jogos criminosos.

A solução: em vez de virar um apostador criminoso financiador de mafiosos, o bom cidadão só aposta o seu suado dinheiro na LOTERIA FEDERAL, pagando em impostos aquilo que nosso amado governo merece.

II. As armas
Assim como o cidadão médio, estúpido como uma porta, é incapaz de administrar o próprio dinheiro, também o é para utilizar uma arma. Toda arma na mão de um cidadão normal o transforma em um homicida potencial, transformando bandidos e assaltantes ordeiros em indefesas vítimas nessa verdadeira máquina de matar que é o cidadão armado. O revólver é uma invenção muito recente e de tecnologia muito complexa para ser manuseado por um cidadão comum.

Um homicida em potencial. Você não vai querer seu marido ou sua mulher com uma dessas, vai?

A solução: Somente oficiais do governo, com anos de treinamento, documentação em dia e farda podem manusear tal tecnologia. Pessoal especializado como a Polícia Federal, a Gestapo e a Stasi é o mais capacitado para garantir a segurança do cidadão.

Somente oficiais autorizados pelo governo, como os da Gestapo, sabem o manuseio correto e o momento oportuno para usar armas.

III. O transporte ilegal
O cidadão precisa esperar meia hora por um ônibus na estação, o trajeto é longo e  toma tempo, não há ar-condicionado, nem espaço para sentar. E, claro, a passagem tem aquele preço módico que é só o suficiente para sustentar os altíssimos padrões de qualidade do nosso transporte coletivo.  Ainda assim, há traficantes de pessoas que insistem em desafiar a Lei e oferecer a carona ilegal a um preço desonesto, abaixo do preço de mercado dos oligopólios do transporte público. Financiar este tipo de crime não transfere qualquer dinheiro para o Estado, que poderia empregá-lo na construção de estádios de futebol, no financiamento do carnaval ou no próximo empreendimento do Eike Batista.

Não se engane: por trás deste sorriso maroto esconde-se um terrível criminoso. Diga não ao tráfego ilegal de pessoas - não pegue carona.

Quando o cidadão toma uma carona ilegal, ele está financiando um trabalhador autônomo ilegal, que não tem autorização do governo, não paga impostos e não é sindicalizado. Toda vez que você paga por uma carona ilegal, um motorista da empresa pública de transportes morre de fome.

Nada de individualismo: o transporte tem que ser público, coletivo, gratuito e de qualidade.

A solução: manter um sistema permanente de monitoramento, denúncia e prisão dos traficantes de pessoas. É imprescindível a colaboração do cidadão em denunciar transportes “irregulares” que cobram menos do que as empresas de transporte autorizadas, bem como evitar usar o transporte privado (“carro”) e usar o transporte coletivo. Juntos podemos ACABAR com a criminalidade!

IV. O cigarro
Todos sabemos que, ao contrário da maconha e do ácido lisérgico (LSD), o cigarro é uma droga porca-capitalista-burguesa que causa muitos males à sociedade. Não porque cause câncer, mas porque alimenta uma grande indústria PRIVADA que lucra muito com a sua venda. E, como todos sabemos, lucrar é errado.

Logo, assim que legalizarmos a maconha não será mais necessário vender cigarros. Nossa campanha anti-tabagismo eliminará este vício burguês da nossa sociedade, substituindo-o por drogas mais populares e democráticas como a maconha, o craque e o ôxi.

Toda vez que você fuma um cigarro, uma criança morre de fome na África.

Mas porque é necessário que o governo cuide disso? Oras, todos sabemos que o cidadão médio não tem responsabilidade para cuidar de si, pois é incapaz de avaliar os riscos e benefícios que o consumo das drogas burguesas podem ter.

A solução: O mais correto é deixar que o governo decida o que podemos ou não fazer com o nosso* dinheiro e deixar que ele escolha com mais segurança quais drogas podemos usar.

Não fume: o grande camarada Adolf Hitler já nos advertia que o maior patrimônio do Reich da Nação é um povo saudável e sem vícios burgueses.

*de todos nós, mas administrado pelos oficiais do governo

V. A violência virtual
A violência é um problema que preocupa a todos nós cidadãos. Como homens de bem, pacíficos e desarmados, não podemos tolerar que qualquer traço de violência permaneça entre nós, não é mesmo? Por isso, não satisfeitos com o combate eficiente à violência nas ruas, com uma taxa baixíssima de homicídios, os políticos também se sentem no dever de servir ao cidadão combatendo a violência também dentro da casa dele. Não estamos falando, é claro, da violência doméstica – que praticamente não ocorre em países como o Brasil.

Estamos falando de um tipo MUITO PIOR de violência. Estamos falando do ato que inicia a violência física, que é a violência mental. Ou seja, o estímulo violento no cérebro do cidadão, que é provocado por coisas animalescas como assistir rinha humana na TV (UFC), jogar videogames que incentivam o homicídio e o porte de armas, como o Counter Strike.

A solução: Assim que proibirmos todos os tipos de programas de televisão contendo cenas de luta e proibirmos todos os jogos de videogame violentos, também implantaremos o sistema “Segurança em Minha Casa” para que o pai de família, a dona de casa ou os próprios filhos denunciem atos de violência mental doméstica, como ouvir músicas violentas (heavy metal), brincar de lutinha com o primo ou mesmo imaginar cenas de violência.

Lobotomizado e feliz, para a gente seguir crescendo!

Jamais se esqueça que o Estado está aqui para cuidar e proteger você contra todos os males que possam te acontecer, e que ele está preparado para proteger você de você mesmo caso precisar. Contamos com a sua colaboração! Juntos podemos fazer um Brasil melhor!

PL pretende censurar o MMA na televisão

O deputado federal José Mentor (PT-SP)criou um projeto de lei que procura banir as lutas que não são olímpicas da televisão, no caso o MMA (Mixed Martial Arts ou artes marciais mistas), esporte que vem ganhando bastante fãs e adeptos nesses últimos anos e tem UFC como a maior organização de lutas de arte marcial mista no mundo, inclusive o evento teve edições realizadas no Brasil e transmitidas pela Rede Globo e conta com os “astros-lutadores”: Anderson Silva, José Aldo, Lyoto Machida e outros. O projeto de lei prevê multa de 150 mil reais para a emissora que transmitir lutas, seja canal aberto ou fechado e em caso de reincidência pode ocasionar a suspensão da concessão pública do canal.

Deputado federal José Mentor (PT-SP) e réu do Mensalão

José Mentor demonstra ignorância e intolerância com o MMA, até chegou a classificar o esporte como uma “rinha humana”, porém os atletas tem treinamento feito por profissionais, acompanhamento médico e toda uma equipe que busca os assessora-los da melhor forma possível e assim dando  todas garantias de segurança aos lutadores, bem diferente das rinhas de galos ou cães onde os animais são maltratados, explorados e sofrem de inúmeras maneiras, inclusive o partido do “ilustre” deputado tem uma relação com rinhas envolvendo animais, primeiro foi o marqueteiro da campanha presidencial de Lula, Duda Mendonça que foi preso em flagrante pela Polícia Federal em Outubro de 2005 numa rinha de galo e o caso mais recente é do deputado estadual do Maranhão, Jose Carlos, também do PT, ele foi flagrado participando e apostando em uma rinha de galo no ano passado. Outro fato interessante que José Mentor é um dos réus no escândalo do Mensalão, porém ele continua exercendo o cargo o pior, foi releito deputado federal mais duas vezes desde então.

Anderson 'Spider' Silva, brasileiro, campeão dos peso-médio do UFC

MMA tem Suas origens no Brasil, quando Hélio Grace começou os famosos desafios que misturavam artes marciais por volta dos anos 30 e 40, ao querer proibir a transmissão desses eventos o deputado José Mentor além de ferir as liberdades individuais e não respeitar gostos e opiniões alheias ele também acaba desmerecendo uma parte da cultura brasileira, pois assim como a Capoeira o MMA é uma luta brasileira que tem raízes estrangeiras.

‘Caro’ deputado José Mentor, se o senhor não gosta de algo, não veja, mude canal, mas não faça igual seu partido que quando não gosta de algo, invés de tolerar e respeitar quem gosta, não, ele tenta banir: é assim com as armas de fogo legais, com as liberdades civis, o direito de ser contra o aborto e outras coisas mais. Deputado não seja antidemocrata como seu partido é.