A mediocridade do ensino superior brasileiro

Segundo o QS World University Ranking de 2011, ranking da educação universitária no mundo, estas são as 3 melhores colocações brasileiras:

  • USP: 169º
  • Unicamp: 235º
  • UFRJ: 381º

Isso mesmo: Não há nenhuma universidade brasileira entre as 100 melhores do mundo, contra 31 universidades americanas e 6 japonesas.

Pode parecer absurdo, mas não é. Esse pífio resultado pode assustar os leigos politicamente, mas quem conhece a política nacional a fundo sabe do que se está falando: faz parte de um projeto de poder. Ou melhor, de perpetuação do poder político neste país.

"Estudante" revolucionário da USP: filhinho de papai tirando lugar de quem quer estudar, para fazer agitação política.

Lendo bem a tabela que consta no link, reparemos o seguinte: não consta nenhuma universidade do Nordeste e do Norte do Brasil. Será mera coincidência que esses mesmos Estados onde, segundo o ranking, o ensino superior não existe, sejam governados por oligarquias que se perpetuam no poder há mais de 50 anos?

Não, não é coincidência não: faz parte do projeto. Um povo mal educado, mal instruído, é fácil massa de manobra nas mãos de políticos inescrupulosos. Ou melhor: sustenta várias indústrias criminosas deste país, como a indústria dos cursinhos pré-vestibulares, pré-OAB, pré-ENEM, etc. Ou a pior de todas: a do concurso público, que torna o cidadão cada vez mais dependente do emprego público e faz com que as pessoas se voltem contra as privatizações que ajudaram o país a crescer, pois o  setor privado – cada vez mais sufocado pelos impostos extorsivos – exige uma atualização que estes nunca terão.

A Musa do Lixo, mostrando toda sua "consciência social" e respeito com os oprimidos funcionários da limpeza.

A educação liberta, mas não querem que o povo seja livre. Não querem mesmo. Essas colocações no ranking mundial estão até boas demais: eles queriam é que todas estivessem fora do ranking das 600 melhores. Se o leitor examinar bem o ranking, verá que universidades ditas “de excelência” no Brasil não constam no ranking.

No ensino brasileiro hoje em dia predomina uma regra: a do anti-americanismo ridículo e patológico, uma coisa deprimente e medonha que doutrina as nossas crianças. O vestibular hoje é um verdadeiro vestibular vermelho, onde só se passa quem responde de acordo com o que o comunista da banca examinadora pensa.

A liberdade custa caro e passa pela educação. Mas atenção: quantidade não é qualidade. Universidade é o que não falta no Brasil, o que falta é qualidade…