O 15 de Novembro

Hoje é uma data emblemática para a História do Brasil e também para a história da direita política no Brasil. No entanto, a Proclamação da República que comemoramos hoje é também um ponto de controvérsia entre os direitistas. De um lado, há os que veem a proclamação da República como algo positivo e do outro os que argumentam que o Brasil “só piorou” depois do fim da monarquia.

bandeira-do-brasil

Em ambos os lados há excesso de ânimo. Assim como a República não representou a resolução de todos os nossos problemas do tempo da monarquia, ela também não causou todos os nossos problemas atuais. Afirmar em contrário é a estratégia mais que batida de imputar ao adversário todos os defeitos históricos e atribuir a si mesmo só os seus acertos. Não podemos nos dar o luxo de operar como esquerdistas vulgares.

As duas correntes são inconciliáveis, admito. Não quero aqui fingir que ambas as formas de governo são ou foram igualmente boas ou determinar que os direitistas devam suportar ambas (ou nenhuma contra outra). Sou republicano e escrevo o artigo de hoje para republicanos. Se você é monarquista demais e tem reações alérgicas todo 15 de novembro, minha advertência é que não leia este texto até o final e pare por aqui.


Advertência dada, dou seguimento:

Pode-se acusar o nosso primeiro período republicano (1899-1930) de muitas coisas, como não ser monárquico ou socialista, por exemplo. Certamente uma acusação de elitista seria certeira, mas deve-se reconhecer os feitos da nossa “República Velha”.

Mais do que a mera modernização e industrialização da nossa economia, a República trouxe avanços importantes no campo dos direitos civis e políticos que beneficiaram amplos setores da sociedade brasileira. Se há o que lamentar hoje, é que muitos dos princípios dos nossos primeiros republicanos hoje se perderam.

Agradeça aos republicanos e seu “complô maçom-militar” se…

  • Você desfruta de liberdade de culto e associação e não é mais obrigado a financiar através de impostos uma instituição religiosa com a qual não comunga.
  • Você pode eleger seus representantes políticos no âmbito municipal, estadual e federal.
  • Você tem direito a ampla defesa, habeas corpus, inviolabilidade de sua correspondência e privacidade doméstica.
  • Os três poderes (legislativo, executivo e judiciário) não estão mais submetidos a uma só autoridade (poder moderador).
  • O governador do país tem responsabilidade legal sobre os seus atos, e o mesmo se aplica aos governadores estaduais e municipais.
  • Você pode contrair um matrimônio civil independente de sua confissão religiosa.
  • A escravidão e o banimento como formas penais estão banidos.
  • Você não está impedido de assumir cargos públicos porque é “filho bastardo”, tem “sangue infecto” ou alguma vez na vida realizou “ofício mecânico” (trabalho braçal).

Certamente, nossa República tem muito a ser melhorado ou mesmo restaurado, mas é inegável que ela trouxe inúmeras melhorias para o Brasil e os brasileiros em matéria de direitos civis e políticos, sem mencionar o desenvolvimento econômico e social decorrente de suas políticas de industrialização, modernização urbana e viária, instrução e saúde pública. Que viva a República!

Mas afinal, o que a direita fez pelo Brasil?

Quem se considera afiliado a alguma filosofia política ligada à direita como o conservadorismo ou o liberalismo, já deve ter ouvido este tipo de pergunta. Afinal, o que a direita já fez pelo Brasil? Se ela está desaparecida do cenário político como muitos afirmam, então o que ela tem a dizer em seu favor, enquanto força política?

BR_RIGHT
Malditos reaças, sempre nos separando de Portugal e libertando nossos escravos.

O que ocorre é que muitas pessoas associam erroneamente a conquista de direitos, como o sufrágio universal e a abolição da escravidão, à esquerda. Isto, é claro, é um tipo de raciocínio falso que favorece o lado esquerdo do espectro político. É a conclusão óbvia da falsa noção de que esquerda representa reforma e direita representa a manutenção do status quo.

Pois bem, a direita fez muito pelo Brasil. E o artigo de hoje apontará apenas as mais importantes contribuições da direita política para o Brasil. Aí vão elas:

1. A abertura dos Portos.

Quem: Visconde de Cairu e Rei Dom João VI.
Cunho político-ideológico: liberalismo econômico.
Quando: 1808.

O que representou: A influência economicamente liberal do Visconde de Cairu sobre o Rei Dom João VI o convenceu a romper com o modelo econômico mercantilista e monopolista que Portugal exercia sobre o Brasil. Com a abertura dos portos às nações amigas, como a Inglaterra, o Brasil ingressa no mercado internacional como exportador e importador de bens. Representou, portanto, uma maior autonomia econômica para o país.

Provas documentais: Decreto de Abertura dos Portos às Nações Amigas (1808).

2. A Independência.

Quem: José Bonifácio e Príncipe Dom Pedro I.
Cunho político-ideológico: liberalismo e constitucionalismo.
Quando: 1822.

O que representou: Negociada por Dom Pedro, não sem uma guerra contra forças legalistas lusas, a Independência do Brasil representa a autonomia política do país com relação a Portugal, bem como a promulgação da sua primeira constituição e a consolidação do regime monárquico constitucional.

Provas documentais: Manifesto do Fico (1821),  Decisão n. 40, de 4 de maio de 1822.

3. A abolição da escravidão.

Quem: Eusébio de Queirós , Visconde do Rio Branco, Sousa Dantas, Rodrigo Augusto da Silva e Princesa Isabel através das Leis Eusébio de Queirós (proibição do tráfico atlântico de escravos), Rio Branco (Lei Ventre Livre), Saraiva-Cotegipe (Lei dos Sexagenários) e Áurea (abolição).
Cunho político-ideológico: diversos – conservadorismo, liberalismo, ultramontanismo católico, positivismo.
Quando: De 1850 a 1888.

O que representou: Realizada em etapas, representou um avanço das liberdades individuais dentro da sociedade brasileira através da eliminação da instituição escravista que afetava negativamente uma enorme parcela da população, majoritariamente negra. O abolicionismo encontrou maior representatividade entre os políticos conservadores que liberais, no Brasil, mas também foi apoiado por liberais, republicanos e positivistas.

A Abolição se deu em etapas: em 1831 ficou proibida a importação de escravos da África com a adesão à Lei Aberdeen da Inglaterra. Em 1850 a Lei Eusébio de Queirós restringiria todo o tráfico transatlântico de escravos no Brasil, o que incluía a apreensão de navios negreiros ou suspeitos de participar do tráfico de escravos. No entanto, o comércio de escravos entre províncias dentro do território brasileiro ainda existia, e a proibição de importar acabaria incentivando a criação de mercados de escravos dentro do país.

Em 1871 a Lei Rio Branco ou Lei do Ventre Livre, como ficou conhecida, viria a libertar todo filho de escrava nascido no Império. Com esta medida estava definido o rumo da Escravidão: não mais nasceriam escravos no Brasil, tampouco estes poderiam ser importados. Em 1885 viria a Lei Saraiva-Cotegipe ou Lei dos Sexagenários que declararia livres os escravos com mais de 60 anos. O golpe final à Escravidão, no entanto, seria desferido simbolicamente por uma ultramontana católica a Princesa Isabel. A  Lei Áurea de 1888, criada pelo conselheiro Rodrigo Austusto da Silva e assinada por Dona Isabel, declarava extinta a escravidão no Brasil.

Provas documentais: Lei Eusébio de Queirós (1850), Lei Rio Branco (1871), Lei Saraiva-Cotegipe (1885)  e Lei Áurea (1888).

4. A proclamação da República.

Quem: Marechal Deodoro da Fonseca, Marechal Floriano Peixoto, Quintino Bocaiuva, Benjamin Constant, Rui Barbosa e Campos Sales.
Cunho político-ideológico: republicanismo, positivismo.
Quando: 1889.

O que representou: O fim da monarquia no Brasil veio acompanhado de uma série de medidas modernizadoras, como o modelo eleitoral presidencialista e o consequente direito ao voto. A Constituição de 1891 também garantiu maior autonomia para as unidades federais, a tripartição dos poderes (legislativo, judiciário e executivo) e o reconhecimento de direitos como a ampla defesa em tribunais, o habeas corpus bem como o fim de penas capitais como o banimento e a morte.

Provas documentais: Constituição de 1891.

5. O fim da pena de morte e o direito ao habeas corpus

Quem: Prudente de Morais presidindo o Conselho de Estado de 1891.
Cunho político-ideológico: diversos – conservadorismo, positivismo, liberalismo.
Quando: 1890.

O que representou: O código penal de 1890 abole a pena de morte (na forca) para civis e não faz menção  à servidão nas galés, pena obsoleta, mas mantém as penas de prisão com trabalho obrigatório e o banimento. As penas de servidão nas galés e de banimento serão expressamente abolidas na Constituição de 1891. A pena de morte (por fuzilamento) se mantém, como na maioria dos países, exclusiva ao código penal militar.

Provas documentais: Código Penal de 1890 e Constituição de 1891.

6. A liberdade de culto e a separação entre Igreja e Estado.

Quem: Dom Pedro I e seu Conselho de Estado na Constituição de 1824, Prudente de Morais presidindo o Conselho de Estado de 1891.
Cunho político-ideológico: liberalismo e positivismo.
Quando: 1824 e 1891.

O que representou: A defesa dos direitos civis e políticos daqueles que não seguissem a Religião oficializada pelo Estado, bem como a garantia do seu direito à liberdade de culto.

Na Constituição de 1824, o Brasil é instituído como Estado Confessional Católico garantida às outras denominações religiosas a liberdade de culto doméstico, é garantida a cidadania a não-católicos e é expressamente proibida a perseguição por motivo de Religião. No entanto, alguns cargos ainda eram de execução exclusiva para católicos, o que mudaria na Constituição republicana.

Na Constituição de 1891 tornou-se vedado tanto à União quanto aos Estados “estabelecer, subvencionar ou embaraçar o exercício de cultos religiosos” o que tornava a República um Estado laico. Permitia-se também o livre exercício público de confissões religiosas, além do doméstico e secularizou-se os cemitérios. Como na Constituição de 1824, membros do clero não tinham permissão para votar, embora nenhum outro direito político ou civil pudesse ser suprimido em função de sua Religião ou crença.

Provas documentais: Constituição de 1824 e Constituição de 1891.

7. Sufrágio Feminino

Quem: Juvenal Lamartine.
Cunho político-ideológico: positivismo.
Quando: 1927

O que representou: Juvenal Lamartine de Faria, um dos mais notórios políticos da história do Rio Grande do Norte e um dos fundadores da UDN do mesmo estado, também é conhecido como o pioneiro do voto feminino no Brasil. Adiantando em 5 anos um direito que a União só reconheceria em 1932, Lamartine e seu governo reconheceriam o direito feminino ao voto e à participação em cargos políticos através de uma reforma eleitoral realizada no Rio Grande do Norte. A lei de número 660 de 25 de outubro de 1927 reconhece em seu artigo 77: “No Rio Grande do Norte poderão votar e ser votados, sem distincção de sexos, todos os cidadãos que reunirem as condições exigidas por esta lei.”

Provas documentais: Lei Estadual nº 660 de 25 de outubro de 1927 do Estado do Rio Grande do Norte.

Enfim, estas são apenas algumas das grandes contribuições da direita política para os brasileiros. Poderíamos citar ainda a industrialização impulsionada no Segundo Reinado e na República Velha, a modernização viária e urbana deste período bem como importantes reformas no sistema educacional e campanhas de saúde pública. Mas deixaremos isso a cargo do leitor interessado em pesquisar estes assuntos.

Teste seu esquerdismo

Escrito por Rodrigo Sias | 30 Agosto 2012
Artigos – Cultura

A esquerda brasileira alcançou o auge de seu poder com a vitória eleitoral de Dilma Roussef para presidência da nação em 2010. Depois de 8 anos de FHC e mais 8 anos de Lula, a esquerda já garantiu, no mínimo, 20 anos ininterruptos de comando do país.

E assim seria mesmo caso Dilma não tivesse vencido. Em todas as últimas três eleições presidenciais, não havia um único representante de algo que pudéssemos caracterizar vagamente de “expressão política de direita”.

Quando muito, observaram-se algumas vozes isoladas ou forças descaracterizadas e fazendo mil e uma concessões ao discurso esquerdista reinante.

Na última eleição, a única boa novidade para a “direita”, foi o movimento anti-abortista, o qual levou as eleições para o 2º turno, quando já não havia mais dúvida de que Dilma seria vitoriosa ainda no 1º turno.

Como isto aconteceu?

Uma das explicações é de que as forças conservadoras do país, convencidas por seus próprios adversários de que a queda do Muro de Berlim em 1989 e o fim da URSS dois anos depois punham fim ao marxismo e a idéia de revolução, foram todas subjugadas e dominadas com seu próprio consentimento, caindo na estratégia gramsciana de FHC e do Partido dos Trabalhadores.

Uma direita descaracterizada e usando a linguagem da esquerda é justamente o resultado da “guerra cultural” preconizada por Antônio Gramsci, cujo objetivo era a transformação do Partido Comunista em um “ente invisível”, um “imperativo categórico”, o qual dominaria todos os aspectos da vida terrena, antes mesmo da tomada do poder propriamente dito.

Invariavelmente, percebo que várias pessoas que se consideram conservadoras ou liberais – ou basicamente de “direita” – acreditam e, muitas vezes defendem, a agenda política da esquerda em temas como liberação das drogas, aborto, eutanásia e casamento entre pessoas do mesmo sexo. Muitas ainda possuem uma percepção totalmente equivocada da história e mesmo dos processos políticos.

Essa constatação empírica mostra como a esquerda no Brasil alcançou o ideal do lendário estrategista militar chinês Sun Tsu em seu clássico livro “A Arte da Guerra”:

“Lutar e vencer todas as batalhas não é a glória suprema. A glória suprema consiste em quebrar a resistência do inimigo sem lutar. É preferível capturar o exército inimigo a destruí-lo. (…) Dominar o inimigo sem combater, isso sim é o cúmulo da habilidade”.

Para reverter esse estado de coisas, as forças contrárias ao chamado “marxismo cultural” devem estar cientes da estratégia dos adversários e conhecer profundamente as teses nas quais devem contrapor-se.

Tendo esse panorama em mente, bolei uma série de três testes com perguntas sobre história mundial, história do Brasil, cultura, política, direito, economia, dentre outros assuntos, para diagnosticar o quanto a mente de liberais e conservadores – “direitistas” por assim dizer – foi abalada pela guerra cultural.

Recorrendo novamente a Sun Tzu, para vencer uma batalha é necessário conhecer seu adversário e ter um profundo auto-conhecimento.

“Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se você se conhece mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota. Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesmo, perderá todas as batalhas (…)É de suprema importância atacar a estratégia do inimigo.”

Serão 21 perguntas divididas em três testes. Cada pergunta possui quatro alternativas com uma pontuação distinta. Ao final do teste, soma-se a pontuação e tem-se um pequeno diagnóstico da situação. As respostas serão apresentadas no fim de cada teste.

Vamos agora às sete primeiras perguntas do teste 1:

1)    Qual foi o serviço secreto estrangeiro que mais operou durante o início da década de 60 no Brasil, em especial, no período antes da deposição de João Goulart?

a)    CIA, o serviço secreto dos EUA
b)    MI6, o serviço secreto da Inglaterra
c)    Mossad, o serviço secreto de Israel
d)    O serviço secreto de Cuba, DGI, contado com apoio do serviço secreto soviético, a KGB.

2)    O “Regime de 64” (1964-1985) foi responsável por quantas mortes e desaparecimentos políticos?

a)    Cerca de 400 mortes e desaparecimentos
b)    Cerca de 30 mil mortes e desaparecimentos
c)    Cerca de 1 milhão de mortes e desaparecimentos
d)    Cerca de 3 mil mortes e desaparecimentos

3)    O Nacional Socialismo ou Nazismo de Adolf Hitler era um movimento:

a)    Capitalista e reacionário
b)    Revolucionário e totalitário
c)    Nacionalista de direita
d)    Conservador de direita

4)    O Partido da Social Democracia Brasileira, o PSDB, pertence a qual posição ideológica?

a)    Direita
b)    Centro-direita
c)    Extrema-direita
d)    Centro-esquerda

5)    A Inquisição da Igreja Católica, em 12 séculos de funcionamento, condenou à morte por heresias e outros crimes:

a)    Estatísticas variam, mas é seguro afirmar que a Inquisição matou menos de 10 mil pessoas em mais de 1.200 anos de funcionamento, mostrando inclusive maior clemência que tribunais civis da época.
b)    De 4 a 5 milhões de pessoas, perseguindo judeus, gays e minorias em geral.
c)    De 10 a 20 milhões de pessoas, destruindo grande parte da população europeia.
d)    De 700 a 900 mil pessoas, em sua maioria acusadas de bruxaria ou sodomia.

6)    A grande mídia brasileira – jornais de circulação nacional e TV de alcance nacionais, em relação ao fenômeno da “guerra cultural”, são ideologicamente:

a)    Comprometidos, ou seja, colaboram com a “guerra cultural”.
b)    De direita, ou seja, atacam os valores progressistas e oprimem a livre expressão artística, só a aceitando, quando são lucrativas.
c)    De extrema direita, ou seja, tentam impor seus valores reacionários à população.
d)    Neutros, ou seja, apenas transmitem com preocupações na audiência e na lucratividade.

7)    A “Teologia da Libertação” é

a)    Um sintoma e o resultado da infiltração comunista na Igreja Católica
b)    Um movimento de renovação da Igreja Católica
c)    Uma ala da Igreja com maiores preocupações com os pobres e excluídos
d)    Um movimento teológico que se desvirtuou e se transformou em um movimento meramente político

Teste 2

1)    As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia – FARC são um grupo de guerrilheiros militantes que:

a)    Se desvirtuaram dos ideais comunistas para seguir práticas capitalistas como o tráfico de drogas.
b)    É ligado aos indígenas e à população excluída da Colômbia.
c)    Seguem a tradição comunista de se financiar com atividades ilegais, estando integradas na ação do Foro de São Paulo
d)    Não abandonou os ideais políticos e usa o tráfico de drogas para se manter ativamente na vida política colombiana.

2)    Ernesto “Che” Guevara foi:

a)    Um assassino guerrilheiro, tipicamente comunista.
b)    Um homem de belos ideais e preocupações humanitárias, mal compreendido.
c)    Um combatente contra o Imperialismo dos EUA.
d)    Um bandido assassino sem nenhuma ideologia que só criou problemas por onde andou.

3)    O Foro de São Paulo, criado em 1990, é:

a)    Um ambiente de debates com viés de esquerda, sobre os problemas latino-americanos.
b)    Um órgão conspirador e articulador das esquerdas latino-americanas para orquestrar e articula) a tomada de poder na região
c)    Um fórum de debates entre fósseis comunistas, cheios de ideais retrógrados, mas sem implicações práticas para a política na América Latina
d)    Uma invenção da extrema-direita com o objetivo de denegrir a imagem das esquerdas latino-americanas.

4)    A recém-inaugurada “Comissão da Verdade” tem como principal objetivo:

a)    Satisfazer o desejo de dinheiro por parte de ex-militantes de esquerda.
b)    Reparar e promover conforto às vitimas da perseguição do Estado durante a Ditadura Militar.
c)    Permitir investigações sobre o período da Ditadura Militar Brasileira.
d)    Desmoralizar as Forças Armadas e reescrever a história com mentiras oficiais,além de extorquir recursos financeiros do Estado.

5)    Escolha a sentença que melhor representa o significado da chamada “luta pela legalização do aborto”.

a)    É um direito de a mulher decidir sobre seu próprio corpo sem as limitações impostas pela sociedade machista.
b)    Trata-se do nome propagandístico dado ao subsídio direto e indireto de grandes fundações bilionárias para viabilizar um necessário controle de natalidade, em especial, no 3º Mundo.
c)    É parte de um programa fanático cujo objetivo é o controle de natalidade, a destruição da família tradicional e a maior intervenção do Estado na vida dos cidadãos.
d)    Baseia-se no princípio do Estado Laico e é necessário para um aprimoramento do planejamento familiar, impedindo mulheres pobres de abortarem em clínicas clandestinas.

6)    O poderoso comércio internacional de drogas desenvolveu-se:

a)    Por conta da proibição arbitrária do consumo de drogas
b)    Como parte de uma estratégia soviética para atacar as bases da civilização ocidental
c)    Como consequência da dinâmica perversa do Capitalismo, que possibilita o conluio entre bancos, traficantes e vendedores de armas.
d)    Como caminho natural da ação de gângsteres e bandidos, no rastro de Estados falidos e polícias corruptas.

7)    A visão da esquerda sobre os fatos e realidades do mundo:

a)    É decorrente de um senso moral invertido e de uma idéia psicótica da realidade baseada, entre outras premissas, na “luta de classes”.
b)    Expõe maiores preocupações sobre a situação dos pobres e excluídos.
c)    É moldada por ideias estereotipadas e simplistas acerca das grandes questões.
d)    Baseia-se em interpretações equivocadas, porém, utópicas sobre os problemas das pessoas.

Teste 3

Terminando a série “Teste seu esquerdismo”, apresento mais uma rodada de 7 perguntas para testar a dimensão do estrago feito pela Guerra Cultural gramsciana. Vamos a elas:

1)    O casamento entre pessoas do mesmo sexo é:

a)    Um direito negado aos homossexuais por conta de preconceitos religiosos
b)    Uma anomalia jurídica inventada com o objetivo de demolir as bases do Direito de família e reinventar a própria noção de família.
c)    Uma modernização no arcabouço legal para abarcar novas modalidades de relacionamento.
d)    Uma reinvindicação desnecessária do ponto de vista legal, uma vez que os parceiros homossexuais podem recorrer a outros mecanismos em casos de herança e partilha de bens.

2)    O projeto de desarmamento com fins de diminuição da violência no Brasil é uma campanha:

a)    Patética do ponto de vista prático e repressora do ponto de vista moral e político, pois quer retirar do cidadão comum o direito a autodefesa.
b)    Uma medida populista, sempre aventada em grandes emergências, mas sem grandes efeitos.
c)    Muito necessária, pois somente o Estado possui o monopólio do uso da força.
d)    Essencial, pois precisamos de uma sociedade sem armas e sem violência.

3)    Quando assumiu o governo, Lula passou a aplicar o programa econômico constante na “Carta ao PovoBrasileiro”, que, em resumo, se comprometia com o respeito aos contratos e com uma gestão ortodoxa da economia brasileira. Deste fato podemos tirar as seguintes conclusões:

a)    Lula abandonou os ideais da esquerda e passou para o lado conservador.
b)    Tratava-se apenas de uma concessão temporária para ganhar a confiança do empresariado – tal como fez Lenin com a NEP de 1921 – enquanto o ideal esquerdista ia sendo implementado em todas as outras áreas.
c)    Lula manteve-se fiel às ideias de esquerda, mas como é pragmático, preferiu uma gestão mais conservadora na economia.
d)    Na área econômica, com a queda do Muro de Berlim, todas as esquerdas que tomaram o poder, passaram a utilizar uma politica econômica ortodoxa, e Lula não foi uma exceção.

4)    A Segunda Guerra Mundial foi causada fundamentalmente por:

a)    Por uma disputa imperialista por mercados e recursos naturais.
b)    Stalin, que foi quem a planejou, armando a Alemanha nazista para usá-la como “navio quebra gelo da revolução”.
c)    Por regimes militaristas e suas ambições de conquista mundial.
d)    Por interesse das potências européias em destruir a URSS.

5)    O século XX foi o mais violento da história. Isso se deveu, entre outras coisas:

a)    Devido ao grande avanço do capitalismo imperialista, que tentou destruir o bloco socialista através de inúmeras guerras, em especial, durante a 2ª guerra mundial.
b)    O desenvolvimento da indústria armamentista, que passou a produzir armas cada vez mais mortíferas, visando lucros.
c)    A inauguração da era do genocídio em massa, baseada em ideologias totalitárias e revolucionárias, dentre elas, o nazismo e o comunismo.
d)    O advento das armas nucleares que passaram a assombrar o mundo desde então.

6) A ascensão das esquerdas em toda a America Latina deve-se principalmente:

a)    À insatisfação com os governos neoliberais anteriores, que falharam em atender as necessidades básicas da população.
b)    À articulação estratégica e tática feita por diversas forças políticas latino-americanas no âmbito do Foro de São Paulo.
c)    Uma “onda política” típica em uma região marcada pela desigualdade e a exclusão social.
d)    À conscietização política da população de baixa renda e à articulação de movimentos sociais.

7) A suspensão do Paraguai do bloco econômico MERCOSUL é mais bem explicada pela seguinte sentença abaixo:

a)    Os governos de Argentina, Brasil e Uruguai estão comprometidos com a democracia e não poderiam tolerar o “golpe de Estado branco” contra o ex-presidente Fernando Lugo.
b)    A deposição de Lugo foi uma desculpa oportunista para incorporar a Venezuela no Mercosul, ignorando a vontade do Parlamento paraguaio e cumprindo a estratégia moldada no Foro de São Paulo.
c)    Foi uma jogada audaciosa da diplomacia brasileira para ganhar mercados para nossa indústria na Venezuela.
d)    Revela mais uma vez a incompetência e o despreparo da diplomacia presidencial petista para lidar com os conflitos no âmbito regional.
Gabarito do Teste 1

Pergunta 1
a)    2 pts
b)    1 pt
c)    3 pts
d)    0 pts

Pergunta 2
a)    0 pts
b)    2 pts
c)    3 pts
d)    1 pt

Pergunta 3
a)    2 pts
b)    0 pts
c)    1 pt
d)    3 pts

Pergunta 4
a)    2 pts
b)    1 pt
c)    3 pts
d)    0 pts

Pergunta 5
a)    0 pts
b)    2 pts
c)    3 pts
d)    1 pt

Pergunta 6
a)    0 pts
b)    2 pts
c)    3 pts
d)    1 pt

Pergunta 7
a)    0 pts
b)    3 pts
c)    2 pts
d)    1 pt

Resultado

e)    0 pontos – Parabéns, você não foi contaminado pela guerra cultural marxista, tem ideias coerentes com seu pensamento conservador e percepções acertadas sobre a realidade.
f)    1 a 6 pontos – Você está bem preparado para resistir à guerra cultural. Mais um pouco de estudo e a cantilena revolucionária nunca mais irá lhe afetar.
g)    7 a 16 pontos – O estágio de contaminação gramisciana em sua cabeça atingiu níveis alarmantes. Um pouco de estudo faria bem.
h)    17 a 21 pontos – Você tem certeza que não é comunista? Esta na hora de rever todos os seus conceitos.

Gabarito do Teste 2

Pergunta 1
a)    3 pts
b)    2 pts
c)    0 pts
d)    1 pt

Pergunta 2
a)    0 pts
b)     3 pts
c)     2 pts
d)    1 pt

Pergunta 3
a)    2 pts
b)    0 pts
c)    1 pts
d)    3 pts

Pergunta 4
a)     1 pt
b)     3 pts
c)     2 pts
d)    0 pts

Pergunta 5
a)    3 pts
b)    1 pt
c)    0 pts
d)    2 pts

Pergunta 6
a)    2 pts
b)    0 pts
c)    3 pts
d)    1 pt

Pergunta 7
a)    0 pts
b)    3 pts
c)    1 pt
d)    2 pts

Resultado

0 pontos – Parabéns! Seu pensamento conservador está intacto e você não foi contaminado pela guerra cultural marxista.

1 a 6 pontos – Alguns deslizes pouco sérios. Nada que um pouco mais de leitura e amadurecimento não resolva.

7 a 16 pontos – Sinal de alerta. A contaminação esquerdista em sua cabeça atingiu níveis perigosos. Evite contato prolongado com professores de história do ensino médio e busque outras fontes de conhecimento que não jornais e livros didáticos.

17 a 21 pontos – Você tem certeza que não é filiado ao Partido Comunista?
Gabarito do teste 3

Pergunta 1
a)    3 pts
b)    0 pts
c)    2 pts
d)    1 pt

Pergunta 2
a)    0 pts
b)    1 pt
c)    2 pts
d)    3 pts

Pergunta 3
a)    3 pts
b)    0 pts
c)    1 pt
d)    2 pts

Pergunta 4
a)    3 pts
b)    0 pts
c)    1 pt
d)    2 pts

Pergunta 5
a)    3 pts
b)    2 pts
c)    0 pts
d)    1 pt

Pergunta 6
a)    3 pts
b)    0 pts
c)    2 pts
d)    1 pt

Pergunta 7
a)    3 pts
b)    0 pts
c)    2 pts
d)    1 pt

Resultado

0 pontos – Parabéns, você não foi contaminado pelo bombardeio esquerdista, e mantém ideias coerentes com seu pensamento conservador.

1 a 6 pontos – Você está bem preparado para resistir à guerra cultural. Basta corrigir alguns conceitos e a cantilena revolucionária nunca mais irá lhe afetar.

7 a 16 pontos – A contaminação gramisciana em sua cabeça já praticamente destruiu todos os seus resquícios conservadores. É necessária muita reflexão para reparar os
danos.

17 a 21 pontos – Você tem certeza de que não é um petista?

Rodrigo Sias é economista.

Sugestão: Rede Social do CONS

Aos amigos que se identificam com a causa conservadora, deixo aqui sugerido o cadastro na rede social do CONS Brasil. Clique na imagem para acessar a rede: