Comentário sobre o resultado da eleição americana

É a primeira vez que eu posto desde que dei palpite sobre a eleição presidencial nos Estados Unidos. Demorei por dois motivos, um foi a falta de tempo e outro a busca por dados e informações para poder fechar o assunto sobre a eleição americana.

Infelizmente errei meu palpite, mas fiquei dentro da margem de erro. A vitória do Obama foi apertada nos Swing States ficando numa média de 1 percentual e ainda há uma série de denúncias de fraude nesses estados, do tipo: bairros na Filadélfia onde Mitt Romney não recebeu nenhum voto ou  300 mil votos de militares não serem contados, mas não vou aprofundar sobre o tema.

O Furacão Sandy acabou ajudando (e muito) o Obama, tanto que o Chris Matthews da MSNBC e o diretor Michael Moore fizeram comentários no mínimo infelizes agradecendo a Deus e a natureza pelo furacão.

Como irá ficar o G.O.P para 2016

Essa é uma das questões que já começam a ser discutidas. Provavelmente nomes de políticos mais jovens irão ganhar espaço: especulam-se nomes que venham a ter apelo às minorias como Marco Rubio (filho de Cubanos e senador pela Florida), Bobby Jindal (governador da Louisiana e o primeiro governador americano de origem indiana), Rand Paul (senador pelo Kentucky e filho do Ron Paul) além do próprio Paul Ryan. No entanto também há nomes mais velhos como o do Robert McDonnell, Jeb Bush (ex-governador da Florida, irmão de George W Bush e casado com uma mexicana) e Rick Santorum, que disputou as primárias de 2012 e é bem visto pelos mais conservadores.

Já o Partido Democrata está menos bem servido de nomes, na teoria o candidato para 2016 seria o Joe Biden, mas este já tem uma idade avançada e sofre de falta de carisma. Existe a possibilidade de Hillary Clinton ser a candidata, mas a imagem dela ficou abalada após o escândalo da embaixada de Benghazi e como ela mesma afirmou, no segundo mandato de Obama, ela irá deixar o cargo de Secretária de Estado e sinaliza deixar a vida pública também.

Para finalizar os americanos mantiveram uma tradição de dar um segundo mandato, mas a vida de Obama não será fácil: os republicanos ainda controlam a câmara dos deputados e tendem a manter a oposição ferrenha.

Quem irá ganhar a Casa Branca?

Foram meses e meses de primárias, debates e campanha, mas agora faltam apenas 3 dias para a eleição presidencial Americana. O último capítulo dessa disputa começara a ser escrito na terça-feira, ainda sobre os efeitos do furacão Sandy, que fez a campanha presidencial entrar num stand by durante a semana.

É difícil fazer uma previsão a respeito do resultado, mas vou dar um palpite de acordo com o que eu tenho visto na imprensa americana:

Se olharmos as pesquisas a nível nacional, elas apontam um empate técnico, a média realiza pelo site RealClearPolitics.com, mostra Barack Obama 47,4% e Mitt Romney com 47,3%, porém vamos focar nos dois institutos que previram o resultado de 2008 com mais de 90% de acerto, São eles a Rasmussen Reports e a Gallup. Na Gallup, Romney e Obama aparecem empatados entre os eleitores registrados, 48% a 48%, mas nos likely voters, Romney lidera com 51% contra 46% de Obama e na ultima pesquisa da Rasmussen feita hoje, os dois candidatos estão empatados com 48% cada, no entanto Romney esteve à frente durante as duas últimas semanas com vantagem que variou entre 2 a 4% de vantagem em relação ao democrata.

O que realmente importa são os votos do Colégio Eleitoral e não os diretos, sendo assim, é possível um candidato ter a maioria dos votos diretos, mas perder no Colégio Eleitoral. A Rasmussen Reports também realiza pesquisas, quase que diárias, nos estados que ainda estão em aberto, até o momento são 8 estados onde os dois candidatos podem vencer, sendo eles: Nevada, Colorado, Ohio, Iowa, Wisconsin, Florida, Virginia e New Hampshire.

Pesquisa da Rasmussen por estado:

                      Romney        Obama

Nevada            48%               50%

Colorado          50%               47%

Florida             50%               48%

Virginia            50%               47%

Iowa                49%                48%

Wisconsin        49%               49%

Ohio                 49%               49%

N.Hampshire    50%               48%

Agora vamos fazer uma simulação se baseado nos resultados a cima

Image

Romney estaria liderando com 277 delegados contra 261 de Obama e restaria apenas 28 delegados em aberto (18 de Ohio e 10 de Wisconsin). Para o democrata se manter na Casa Branca, ele precisaria vencer no Wisconsin e em Ohio, já republicano precisa apenas vencer em Ohio para ser o quadragésimo quinto presidente americano

Uma pesquisa realizada pela Gallup com as pessoas que votaram antecipadamente (isso é possível em alguns americanos) traz uma má notícia para Obama, seu rival lidera com 52% contra 45% ao seu favor. A más notícias para Obama não param por ai, Romney também lidera entre os independentes, no Wisconsin a militância republicana está muito empolgada e os Favorable Ratings do RealClearPolitics,com dá vantagem ao republicano.

Enfim se eu tivesse que apostar num candidato, esse candidato seria o Romney, desde quando venceu o primeiro debate, o republicano conseguiu empolgar aqueles que já tendiam a votar nele e atraiu boa parte dos indecisos. Os eleitores republicanos estão mais empolgados para votar do que os democratas, diferente de 2008, onde eram os democratas que estavam mais empolgados para ir às urnas e numa eleição acirrada são esses pequenos fatores que podem decidir. Obama até pode ganhar, mas será com uma vantagem bem menor que 2008.