Os militares e a sua função dentro de uma democracia

Em 1964, o povo pediu que os militares livrassem o país do comunismo, não que assumissem o poder por vinte anos. Eles assumiram o poder por vinte anos, e, em vez de acabar com o comunismo, deixaram-no crescer à vontade contanto que não apelasse à violência armada. Acabaram com a democracia que prometiam defender e afagaram a cabeça inimiga que prometiam cortar. Agiram assim por medo de se autodefinir ideologicamente, por desejo de parecer neutros e infinitamente superiores às “paixões” (assim as entendiam) da política civil. Decorrido meio século, a ameaça comunista está mais perigosa do que nunca, fortelecida por uma audácia incomum e pela apatia de seus possíveis adversários. E até hoje não vi nenhum militar examinar seriamente os erros do regime instalado em 1964 para evitar que se repitam. O principal desses erros foi encarar o comunismo tão-somente como ameaça armada, não como guerra cultural e ideológica. Daí resultaram, de um lado, as ilegalidades cometidas contra os comunistas e, de outro, o sucesso da “revolução cultural” gramsciana que até hoje aliás usa essas mesmas ilegalidades como pretexto publicitário altamente convincente. Se os mesmos erros forem cometidos de novo, veremos a história repetir-se em sentido inverso da famosa fórmula de Karl Marx. A farsa se repetirá como tragédia.

Olavo de Carvalho

Novidades no blog Direitas Já

Hoje não temos uma, mas três novidades para você leitor.

Primeira novidade: Adicionamos hoje uma série de livros à nossa biblioteca nas suas três seções (inglês, português e espanhol), então temos disponíveis mais obras de grandes pensadores como Murray N. Rothbard, Alexis de Tocqueville, Ayn Rand, Carl Menger, Böhm-Bawerk, Lord Acton, Alberdi, além de grandes clássicos de Fiódor Dostoievski, Voltaire, e as leituras que são praticamente obrigatórias Arte da Guerra (de Sun Tzu) e 1984 (de George Orwell). Agradecemos à contribuição de Adriel Santana por esta leva!

Segunda novidade: Reorganizamos os dados sobre a equipe do blog e as informações para contato no menu ‘Sobre nós’. Lá você tem acesso a três seções:

  • Colaboradores – com informações sobre os autores e colaboradores do blog;
  • Contato – com nosso e-mail e link para a página do Direitas Já! no Facebook;
  • Quem Somos – uma introdução rápida ao blog.

Terceira novidade: Dedicamos uma página exclusiva do blog em homenagem às vítimas do terrorismo de extrema-esquerda no Brasil. Esta página tem por objetivo ajudar na recuperação da memória histórica brasileira, e não deixar que os crimes perpetrados pelas guerrilhas terroristas sejam esquecidos.

Gostou? Tem alguma crítica ou sugestão? Mande-a para o e-mail direitasja@gmail.com