Douglass

Frederick Douglass nasceu numa senzala, em fevereiro de 1818, perto da cidade de Easton, na costa leste de Maryland. Separado de sua mãe quando tinha poucas semanas de vida, foi criado por seus avôs. Aos seis anos, sua avó o levou para a plantação do seu senhor e o deixou lá. Sem qualquer aviso de que ele ficaria por lá, Douglass nunca recuperou-se da traição do abandono. Quando tinha oito anos foi enviado a Baltimore para viver como criado com Hugh e Sophia Auld, parentes do seu senhor. Logo após sua chegada sua nova senhora o ensinou o alfabeto. Quando o marido a proibiu de continuar com sua instrução, porque era ilegal ensinar escravos a ler, Frederick resolveu aprender por conta própria. Ele fez dos garotos da vizinhança seus professores, dando sua comida para eles em troca de lições de leitura e escrita. Com cerca de treze anos, Douglass comprou uma copia do The Columbian Orator, um livro didático popular da época, que o ajudou a ganhar entendimento e apreciação pelo poder das palavras faladas e escritas, como dois dos meios mais efetivos para provocar mudanças permanentes e positivas.

Retornando à costa leste, com aproximadamente quinze anos, Douglass foi trabalhar no campo e experimentou as mais terríveis condições que assolavam os escravos durante os 270 anos de escravidão na América. Foi nesta época que ele teve um encontro com o capataz Edward Covey. A briga terminou em empate, mas a vitória foi de Douglass, uma vez que seu desafio ao capataz restaurou seu senso de auto-valor. Depois de uma tentativa frustrada de fuga quando tinha dezoito anos, foi enviado de volta a Baltimore para viver com a família Auld, e no início de setembro de 1838, aos vinte anos, Douglass conseguiu escapar da escravidão fingindo ser um marinheiro.

Ele foi primeiramente para New Bedford, Massachusetts, onde ele e sua nova esposa Anna Murray iniciaram sua família. Sempre que podia ele atendia às reuniões abolicionistas, e, em outubro de 1841, após comparecer à uma convenção anti-escravidão na Ilha de Nantucket, Douglass tornou-se um conferencista para a Massachusetts Anti-Slavery Society e um colega deWilliam Lloyd Garrison. Este trabalho levou-o à falar e escrever publicamente. Ele publicou seu próprio jornal, The North Star, participou da primeira convenção de direitos das mulheres em Seneca Falls, 1848, e escreveu três autobiografias. Ficou internacionalmente reconhecido como um abolicionista ferrenho, um infatigável traalhador pela justiça e igualdade, e um defensor dos direitos das mulheres. Tornou-se um conselheiro de confiança de Abraham Lincoln, Marechal dos Estados Unidos pelo distrito de Columbia, registrador de contratos de Washington, e Ministro-Geral da República do Haiti. Frederick Douglass morreu no fim de tarde de uma terça, 20 de fevereiro de 1895, em sua casa em Anacostia, Washington, DC.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s