Festa no além para Stalin e Hitler: extrema-esquerda e “extrema-direita” se juntam após vitória do Syriza na Grécia

siirya

Já se foi o tempo em que a Grécia era respeitada por seu conhecimento. O tempo de Aristóteles e Sócrates já se foi há muito tempo. Nesta fim de semana, o partido Syriza, de extrema-esquerda venceu as eleições no país. E ganhou o apoio da “extrema-direita”, conforme vemos em notícia da Veja:

O líder da Coalizão de Esquerda Radical (Syriza), Alexis Tsipras, será o novo primeiro-ministro da Grécia graças a uma aliança selada na manhã desta segunda-feira com um partido nacionalista dissidente da direita. O acordo foi firmado durante reunião com Panos Kammenos, chefe dos Gregos Independentes. Juntos, os dois partidos terão no mínimo 162 deputados no Parlamento, mais do que a maioria necessária, de 151.

A aliança entre as duas forças já era esperada desde a semana passada, quando declarações nesse sentido haviam sido feitas por líderes dos dois partidos. O que surpreende é que os Gregos Independentes…

Ver o post original 534 mais palavras

Anúncios

O psiquiatra Lyle Rossiter nos comprova que o esquerdismo é uma doença mental

images

Geralmente vemos esquerdistas se referirem a quem é da direita como um “louco da direita”, e daí por diante. O problema é que a crença da direita é coerente até com o que a teoria da evolução tem a nos dizer. Enquanto isso, a crença esquerdista é baseada em quê? É isso que começamos a investigar de uma forma mais clínica a partir do livro The Liberal Mind: The Psychological Causes of Political Madness, de Lyle Rossiter, lançado em 2011.

Conforme a review da Amazon, já notamos a paulada que será dada nos esquerdistas:

Liberal Mind traz o primeiro exame profundo da loucura política mais relevante em nosso tempo: os esforços da esquerda radical para regular as pessoas desde o berço até o túmulo. Para salvar-nos de nossas vidas turbulentas, a agenda esquerdista recomenda a negação da responsabilidade pessoal, incentiva a auto-piedade e outro-comiseração, promove a dependência do…

Ver o post original 3.534 mais palavras

Expondo a farsa do dito “pacifismo” Islâmico

Um amigo me encaminhou esse artigo pelo Facebook, ao que tudo indica foi traduzido por um Português, porem perfeitamente compreensível, apenas fica nota que  “Puto” significa criança, menino em Portugal.

Encontrei o Blog do Senhor Collard, porem não encontrei esse texto especifico, mas minha busca foi superficial. Porem o que é descrito no texto é basicamente o discurso de quase todo líder religioso Islâmico, praticamente sem exceção.

Mensagem de um advogado na França. (Gilbert Collard)

Bom dia,


Como demonstram as linhas que se seguem, fui obrigado a tomar consciência da extrema dificuldade em definir o que é um infiel.


Escolher entre Alá ou o Cristo, até porque o Islamismo é de longe a religião que progride mais depressa no nosso país. O mês passado, participava no estágio anual de actualização, necessária à renovação da minha habilitação de segurança nas prisões. Havia nesse curso uma apresentação por quatro intervenientes representando respectivamente as religiões Católica, Protestante, Judaica e Muçulmana, explicando os fundamentos das suas doutrinas respectivas. Foi com um grande interesse que esperei a exposição do Imã.


A prestação deste ultimo foi notável, acompanhada por uma projecção vídeo.
Terminadas as intervenções, chegou-se ao tempo de perguntas e respostas, e quando chegou a minha vez, perguntei: “Agradeço que me corrija se estou enganado, mas creio ter compreendido que a maioria dos Imãs e autoridades religiosas decretaram o “Jihad” (guerra santa), contra os infiéis do mundo inteiro, e que matando um infiel (o que é uma obrigação feita a todos os muçulmanos), estes teriam assegurado o seu lugar no Paraíso. Neste caso poderá dar-me a definição do que é um infiel?”


Sem nada objectar à minha interpretação e sem a menor hesitação, o Imã respondeu: “um não muçulmano”.


Eu respondi : “Então permita de me assegurar que compreendi bem : O conjunto de adoradores de Alá devem obedecer às ordens de matar qualquer pessoa não pertencendo à vossa religião, a fim de ganhar o seu lugar no Paraíso, não é verdade?


A sua cara que até agora tinha tido uma expressão cheia de segurança e autoridade transformou-se subitamente ao de “um puto” apanhado em flagrante com a mão dentro do açucareiro!!!


É exacto, respondeu ele num murmúrio.


Eu retorqui : “Então, eu tenho bastante dificuldade em imaginar o Papa dizendo a todos os católicos para massacrar todos os vossos correligionários, ou o Pastor Stanley dizendo o mesmo para garantir a todos os protestantes um lugar no Paraíso.”


O Imã ficou sem voz !


Continuei : “Tenho igualmente dificuldades em me considerar vosso amigo, pois que o senhor mesmo e os vossos confrades incitam os vossos fiéis a cortarem-me a garganta !”


Somente um outra questão : “O senhor escolheria seguir Alá que vos ordena matar-me a fim de obter o Paraíso, ou o Cristo que me incita a amar-vos a fim de que eu aceda também ao Paraíso, porque Ele quer que eu esteja na vossa companhia ?” Poder-se-ia ouvir uma mosca voar, enquanto que o Imã continuava silencioso.


Será inútil de precisar que os organizadores e promotores do Seminário de Formação não apreciaram particularmente esta maneira de tratar o Ministro do culto Islâmico e de expor algumas verdades a propósito dos dogmas desta religião.


No decurso dos próximos trinta anos, haverá suficientes eleitores muçulmanos no nosso país para instalar um governo de sua escolha, com a aplicação da “Sharia” como lei.


Parece-me que todos os cidadãos deste país deveriam poder tomar conhecimento destas linhas, mas como o sistema de justiça e dos “media” liberais combinados á moda doentia do politicamente correto, não há forma nenhuma de que este texto seja publicado.


É por isto que eu vos peço para enviar a todos os contactos via Internet.


Gilbert Collard

Por que as charges de Maomé não violam o Decreto Lei nr. 2848?

hebdo

Na política, interpretar de maneira intencionalmente desonesta ou ao menos inadvertidamente equivocada uma lei em seu benefício é algo mais velho que guaraná de rolha. Não causa surpresa, portanto, que alguns já estejam dizendo que as charges de Maomé constituem um crime, pois violam o Decreto Lei Número 2848, de 7 de dezembro de 1940.

Vamos revê-lo, antes de seguir:

Art. 208 – Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso:

Pena – detenção, de um mês a um ano, ou multa.

Parágrafo único – Se há emprego de violência, a pena é aumentada de um terço, sem prejuízo da correspondente à violência.

Para início de conversa, tentar julgar uma ação na França por uma lei brasileira só pode ser classificado como bizarro.

Mas vamos supor, a título de argumento, que a lei…

Ver o post original 279 mais palavras

A BLOSTA se irrita contra Rachel Sheherazade. Compreensível: ela acertou na mosca ao comparar o terrorismo contra o Charlie Hebdo com o ódio petista à liberdade de imprensa

Rachel-Sheherazade-1

Depois de Rachel Sheherazade ter falado verdades doloridas sobre a semelhança de princípios entre o atentado ao Charlie Hebdo e o ódio à imprensa livre no Brasil, a BLOSTA, como não poderia deixar de ser, ficou com os nervos em frangalhos. Aí tudo chegou até a ser engraçado.

Altamiro Borges disse, chegando ao nível do esgoto ao chamá-la (em uma imagem) de “jornazista”:

O oportunismo da jornalista beira o absurdo. Rachel Sheherazade desconhece ou finge não conhecer a história da publicação francesa, famosa por suas origens de esquerda e por sua ácida irreverência contra tudo e contra todos – expressa no seu slogan “Um jornal irresponsável”.

Bem diferente da “Veja”, que é uma expressão das elites e das forças mais conservadoras e preconceituosas do Brasil. O panfleto da famiglia Civita nunca teve nada de “independente”. Comparar as duas publicações, aproveitando-se do trágico episódio em Paris, é pura má fé ou…

Ver o post original 528 mais palavras

Palestra comunista na UNESC de Criciúma defende terrorismo, estupros e as FARC

“Declaração polêmica a partir do tempo: 13:00 minutos. Palestra sobre comunismo na UNESC – Univesidade do Extremo Sul Catarinense – Criciúma – SC. Professora defende ação das FARC, de atentados a bomba, de estupros de contrários.”

Dilma, a “Ex” terrorista, agora diz condenar o ISIS pelo atentado na França?

A “presidentA” Dilma Rousseff que nos passado participou de grupos terroristas que queriam implantar o comunismo no Brasil, hoje diz condenar o ataque terrorista perpetrado por islâmicos em solo Frances.

A esquerda não tem a mínima vergonha de se aproveitar de situações que beneficiem seus projetos tirânicos, sem falar na coerência.

dilma

Em setembro de 2014 a presidente Dilma lamentou os ataques militares contra os terroristas do ISIS e defendeu o dialogo com os terroristas, ate aqui tudo “normal” e coerente com a ideologia de esquerda comuno/socialista que defendem uma infinidade de ditaduras mundo a fora e demoniza republicas democráticas.

Hipocrisia se deu hoje quando ela diz condenar o terrorismo, sendo que não se passaram 4 meses desde que ela estava defendendo os mesmos terroristas que atacaram a França hoje.

E onde esta a coerência para condenar o terrorismo praticado pelas FARC na Colômbia? Pelo MST e pela Funai no Brasil?? Quando vai sancionar a lei anti-terror no Brasil??? Dilma falando em liberdade de imprensa logo após nomear Ricardo Berzoini para implementar a censura no país????

Questões essas meramente retoricas, pois o PT sempre apoiou as FARC fazendo malabarismo ideológico para justificar o terrorismo praticado por aquele grupo e pelos grupos que agem dentro do Brasil.

Sabemos que essa “condenação” do terrorismo é apenas oportunismo momentâneo, pois nem mesmo PT consegue fazer esse tipo de malabarismo ideológico para defender esse tipo de ato no momento em que acontece, o que não quer dizer que no futuro eles não vão relativizar esse ataque terrorista também, assim como relativizam o terrorismo praticado pelos “movimentos sociais” do PT. Só não podem fazer isso agora enquanto o sangue das vitimas esta fresco no chão e nas mãos dos terroristas.