Tags

, , , , , , ,

“Não consigo entender como as pessoas podem apoiar o Bolsonaro!”, “Tenho nojo deste cara e de quem votou nele!”, “Se você apoia este cara, por favor me exclua do Facebook!”, “Você não sabia que ele era torturador do Regime Militar e arrancava a unha de gatinhos de rua?”[1]

Estas são as queixas que mais tenho lido no Facebook. Entendo, meus amigos de esquerda estão realmente abalados com a aprovação da abertura do processo de impeachment da Dilma. Mas afinal, porque políticos como Trump e Bolsonaro são tão populares?

Trump Bolsonaro

Eis o motivo:

Por que a esquerda faz publicidade grátis para eles. Eles sequer precisam falar ou publicar qualquer coisa: as pessoas chegam até eles pelos absurdos e exagerações que publicam sobre eles, verificam por elas mesmas a falsidade ou exagero das acusações e quem termina perdendo a credibilidade é o acusador. Quanto mais os petistas acusam a oposição de golpista, de fascista, mais esta ganha apoio. Para cada caricatura latuffiana pintando o Bolsonaro de nazista que você compartilha, é um like que a Bolsonaro Zuero ganha e um meme do “Bolsomito” que aparece na sua timeline.

Acostumada com campanhas de assassinato de reputações, a esquerda sempre contou com o sucesso da estratégia, que consiste basicamente em induzir o alvo à parasilia quando ele tenta defender sua imagem de uma enxurrada de ataques. Basicamente um ataque DoS[2]. Só que, diferente do que acontece com redes virtuais, no mundo da política a estratégia não funciona quando o alvo não se defende e, em vez disso, revida ou faz troça do atacante. Quando o alvo se comporta como se já não tivesse nada a perder, é aí que ele não perde mesmo: como explicou o filósofo e analista de risco Nassim Taleb, a reputação é antifrágil e só se fragiliza quando há esforço ativo em defendê-la.

Assim, o pânico e os ataques histéricos da esquerda só tornaram seus arquiinimigos mais e mais populares. Mais do que isso, quando a esquerda está no poder e é a ideologia hegemônica e institucionalizada, colocar-se contra ela ganha ares subversivos e atrai mais admiradores. Mesmo quem não admira um Trump ou Bolsonaro – meu caso – utilizará a sua figura (na era da internet, memes e frases de efeito) para atiçar e provocar o status quo. Isto dá a impressão de que o “fenômeno Trump” ou “fenômeno Bolsonaro” é muito maior do que realmente é, aumentando a sua popularidade em um ciclo vicioso.

Portanto, se você é de esquerda, faça um favor a si mesmo e mude de estratégia. Difamar a oposição parece que já não está funcionando.


NOTAS:

[1] Bolsonaro nasceu em 1955 e portanto tinha 15 anos em 1970, no auge da Ditadura. Só se formou militar em 1977, quando os anos de chumbo já tinham acabado.

[2] Denial of Service (negação de serviço) é um tipo de ataque cujo fim é tornar um serviço de rede indisponível aos usuários legítimos realizando numerosas requisições de serviço falsas.


Gostou deste artigo? Receba nossas atualizações por e-mail assinando o nosso boletim:
Boletim Direitas Já!