Tags

, , ,

A pouco dias a equipe de analise econômica do Banco Santander emitiu um breve comunicado para uma determinada carteira de investidores sobre os panoramas econômicos a curto e médio prazo no Brasil, todos devidamente embasados nos fatos e na realidade atual.

O Partido do Trabalhadores (PT) se doeu com analise e econômica e usando todo seu “know how” bolivariano, partiu em busca das cabeças dos responsáveis e o mais grave, a instituição financeira acatou a ordem. Segue a nota do PT:

O presidente do PT, Rui Falcão, afirmou na noite desta sexta-feira (25) que o banco Santander pediu desculpas pelo texto distribuído para correntistas em que descreve a reeleição da presidente Dilma Rousseff como uma ameaça à economia. Ele disse que foram feitas demissões na instituição.

“Já houve um pedido de desculpas formal enviada à Presidência. […] A informação que deram é que estão demitindo todo o setor que foi responsável pela produção do texto. Inclusive gente de cima. E estão procurando uma maneira resgatar o que fizeram”, disse Falcão.

A militantes do PT do Rio, Falcão classificou o caso como “terrorismo eleitoral”. Mas afirmou que aceita as desculpas do banco.

“Aceito as desculpas do banco, mas isso não elide o que aconteceu. Isso é proibido. Instituições bancárias ou financeiras não podem fazer manifestações que interfiram na decisão do voto.”

Eis o documento que o banco enviou para cerca de 40 mil clientes:

Isso nada mais é que censura e perseguição política, assim como foi pratica recorrente na União Soviética, China e continua sendo em Cuba, Venezuela, Coreia do Norte e algumas outras ditaduras e regimes autoritários que ainda se mantém.

Se restava alguma duvida para as pessoas com alguma sanidade que as intenções do PT é de instalar uma Ditadura Bolivariana no Brasil, esta é a prova final. Cabeça rolaram porque o partido exigiu em uma clara censura a liberdade de expressão e ao exercício legal do trabalho desses indivíduos.

O Banco Santander ao se sujeitar as vontades Partidárias, torna-se cúmplice de todas as mazelas causadas pelos socialismo PTista no Brasil, se comportando como mera sucursal financeira de um partido político e não uma empresa privada comprometida com o Estado de Direito e a Constituição Democrática.

Com isso o Santander já pode requisitar um “Fidel Castro” ou “Antonio Gramsci” de fidelidade do comunismo/socialismo:

Abaixo seguem dois artigos esclarecendo maiores detalhes do ocorrido: