Tags

, , , ,

Há poucos dias atrás, em 5 junho, ocorreu um atentado na Universidade Seattle Pacific, na cidade de Seattle, estado de Washington.

O criminoso/psicopata feriu quatro pessoas, sendo que uma veio a óbito após chegar ao hospital.

Aparentemente os meios de comunicação anti armas legais/anti legitima defesa estão evitando divulgar esse ocorrido, creio eu que isso se deva ha uma conjuntura de fatores:

1) O criminoso foi parado pela REAÇÃO de outro Aluno que trabalhava também como monitor no campus;

2) Esse aluno usou a arma que tinha a mão, no caso spray de pimenta, sendo que na primeira oportunidade que lhe surgiu enquanto o criminoso parou para recarregar a arma que usava para cometer o crime, usou-o fazendo com que o inimigo fosse ao chão, sendo imobilizado posteriormente.

3) O Herói em questão, Jon Mess, é membro da Associação Nacional do Rifle, a famosa NRA, que defendem os valores constitucionais dos EUA.

4) Jon Mess também é fundador do time de airsoft de tiro tático (esporte), um aluno brilhante condecorado pela escola e um patriota altruísta, ajudando no socorro as vitimas do furacão Katrina além de fazer doações de suprimentos para as tropas Americanas no Iraque. Em suma, o Sr. Meis parece ser o tipo de pessoa “que se apega a suas armas e sua religião”… e aindapor incrível que pareça”, não parece ser uma pessoa amarga.

jon meis 2010

5) O Estado de Washington tem predomínio de politicas e políticos esquerdistas/socialistas, sendo o próprio prefeito de Seattle figura entre a extrema esquerda dos EUA.

6) Consequentemente as politicas anti armas e anti legitima defesa são prioridades para esses políticos de esquerda e seus projetos de poder. A cidade de Seattle e o estado de Washington figuram entre os Estados com as leis mais restritivas/proibitivas para posse e porte de armas legais.

7) A Universidade em questão é uma Gun Free Zone, um local em que armas são totalmente proibidas mesmo para as pessoas que tem o direito legal de tê-las e portá-las.

Basicamente ao meu ver esses 7 fatos supra mencionados invalidam qualquer “argumento” dos “anti-armas”, por isso a forma seletiva de “gritaria” dos mesmos, que quando não estão defendendo criminosos psicopatas estão culpando as vitimas.

Com certeza se o local não fosse uma Gun Free Zone e o próprio Jon Mess estivesse de posse de uma arma o resultado com certeza teria sido melhor, com numero menor de vitimas.

Jon Mess precisou aguardar o criminoso precisar recarregar sua arma para agir com o que tinha a mão, sendo que estava em considerável desvantagem perante o inimigo, tendo uma arma ele poderia ter reagido muito antes e abatido o criminoso, poupando vidas inocentes.

312927_181319518608268_5757900_n