Tags

, ,

Há poucas semanas postei algo que dizia mais ou menos o seguinte: Quando o povo aceita a relativização da propriedade do fazendeiro, essa flexibilização terá reflexo na propriedade privada como um todo, na propriedade da sua casa, do seu salário, da sua poupança.
O urbanóide que defende a relativização caótica e ideológica da propriedade privada do homem do campo em nome de uma pseudo causa social está a fazer “festa com chapéu alheio”.
O que dirão eles quando começarem a reivindicar o quarto de hóspede de sua casa, o espaço do quintal, a área dos fundos, de laser, a varanda…. Ora, eis áreas subutilizadas…

Luana Ruiz Silva

Stédile anuncia ‘urbanização’ do MST: ‘Não adianta só ocupar terras’