Tags

, , , ,

Excelente o editorial do Estadão, Oportunismo agropolítico, nos últimos tempos dificilmente a imprensa se debruça sobre fatos e sobre a historia.

A “presidanta” Dilma Rousseff resolveu participar da cerimônia do lançamento simbólico da colheita da safra de soja 2013/2014, no município mato-grossense de Lucas do Rio Verde, a 360 quilômetros de Cuiabá. Sem se incomodar com o fato de que mais de 20% da safra do Estado já foi colhida e cercada de políticos, Dilma fez um discurso de quase 40 minutos, subiu à cabina de uma colheitadeira e posou para fotos recolhendo grãos da oleaginosa.

A agropecuária é único setor econômico no Brasil realmente eficiente que não depende de bolsa BNDES, que é independente, vive das leis de livre mercado. Claro que a “uma duzia” de exceções que se venderam ao PT, mas esses fazem parte do agronegócio real, são fisiologistas oportunistas que sempre dependeram da intervenção estatal para ganhar dinheiro.

O PT sempre se empenhou em destruir o setor desde que o partido foi criado, criou o MST e seus derivados, apoia todo tipo de Ong que promove o terrorismo contra o agronegócio, promove o eco terrorismo que nada mais é uma forma de enfraquecer o poder dos produtores rurais através de leis ambientais que inviabilizam a atividade agrícola e expropria indiretamente parte da propriedade dos mesmo e agora com os índios, o MST versão 2.0 beta.

A conta de toda irresponsabilidade politica esta chegando, a economia patina, investidores começam a cair fora dessa arapuca Keynesiana, o terrorismo já se mostra nas ruas e agora o PT tenta se aproveitar, mais ainda, do agronegócio, setor que eles sempre abominaram.