“Você não vai entender a esquerda se não entender que esquerdismo é uma religião. É uma religião sem um deus (apesar do que dizem alguns cristãos e judeus de esquerda) mas com todas as características de religião. E a mais importante característica é ter dogmas. O esquerdista tem tantos dogmas quanto qualquer fundamentalista religioso. O primeiro é que igualdade material é um objetivo moralmente superior. Outro é a vilania das corporações. Quanto maior a empresa, mais maligna. No lugar do demônio, essa religião tem a indústria farmacêutica, a indústria do cigarro, do petróleo e o que chamam de indústria bélica. Já sindicatos, advogados ativistas e, claro, governos são os anjos da esquerda. E por que isso? Qual motivo da esquerda temer mais empresas do que governos? A resposta é: dogma, um sistema de valores que transcende a racionalidade. Nenhuma pessoa racional pode negar que governos causaram os grandes males do último século, o mais sangrento da história. Quem matou 30 milhões de soviéticos, o próprio governo do país ou empresas? Dica: não havia empresas na União Soviética. Quem causou propositadamente 75 milhões de mortes por falta de comida na China, o próprio governo ou empresas? Dica: veja a dica anterior. A Coca-cola matou 7 milhões de ucranianos? A Shell matou 25% da população do Camboja? Haveria o holocausto se não houvesse um governo nazista? Qualquer coisa que empresas possam ter feito de mal na história não se compara ao mais monstruoso dos crimes, a escravidão em massa, que nega os mais básicos direitos humanos, além da tortura e dos genocídios cometidos por governos. Quem pode racionalmente achar que empresas oferecem mais ameaças que governos para a humanidade? É preciso uma mente distorcida por dogmas para se acreditar nisso. É a única explicação plausível.” Dennis Prager