Tags

, ,

Em todo mundo a esquerda trabalha sorrateiramente para eliminar a oposição da face da terra agindo das mais variadas maneiras para atingir esse objetivo, inerente a ideologia tirana e ditatorial dos socialistas.

Em países como o Brasil, onde a esquerda dominou a política e a cultura em geral, vemos isso ocorrer de forma acentuada e institucionalizada.

Temos o terrorismo praticado pelo MST e suas vertentes que agora incluem índios e a Funai, também o terrorismo praticado por sindicatos como a CUT com greves absurdas que apenas servem para desestabilizar e subverter o estado de direito no país. Temos os constantes ataques a constituição por parte de políticos PTistas e afins tentando instaurar a censurar, controle total da economia e fim da propriedade privada, vide o PNDH3, os projetos de controle da mídia, a tal poupança fraterna, o fim da separação e da autonomia dos 3 poderes e os ataques a decisões do STF que puniu criminosos PTistas entre tantos outros.

Uma forma subliminar que adotaram recentemente é de abominar e extinguir a ideologia oposta à esquerda. Primeiro eles tentaram sujar a reputação e o nome da direita tratando políticas e atos socialistas como de “extrema direita”, que é mo caso do Nacional Socialismo, o qual já foi esclarecido em outros artigos e pode ser encontrado nos arquivos do próprio blog. Como contra fatos não há argumentos, viram naufragar sua tentativa de suplantar a confrontação ideológica.

Os socialistas estão apavorados em serem confrontados com fatos que desmontem a visão romantizada e mentirosa criada em torno da esquerda. Com o advento e popularização da internet e das redes sociais diversas informações de difícil acesso no passado ficaram disponíveis a todos de forma rápida e fácil, o que acaba por forçar a grande imprensa a divulgar essas informações que antes eram omitidas.

Como a matéria da Veja sobre a farsa que é Che Guevara, o livro de Lobão e tantos outros fatos que desmascaram as intenções da esquerda de implantar ditaduras comunistas em todo mundo. No Brasil o Facebook atingiu a marca de 73 milhões de usuário, mostrando que cada vez mais a rede social tem enorme poder como veiculo de informação confiável.

E por esses motivos que partidários da esquerda trabalham anonimamente para demonizar e extirpar a direita da sociedade, pois a confrontação com os fatos começou e esta crescendo vertiginosamente, sendo um fenômeno mundial.

O meio “viável” que encontraram para isso é tratar ideologia como coisa ultrapassada, arcaica, coisa de idiota.

“Oposição descolada, antena e moderna” em sintonia com o politicamente correto é a tal “oposição” amorfa, pragmática, covarde que não confronta fatos e nem faz questionamentos legais e morais aos esquerdistas e seus regimes tirânicos. Isso não é oposição, isso é apenas discordância pontual.

Esse fenômeno ocorre no mundo todo, nos EUA tivemos o movimento pró Ron Paul, que defendia esse “pragmatismo” e a coexistência com islâmicos, comunistas, esquerdistas e todas essas vertentes de socialismo, só não com conservadores, cristãos, membros do Tea Party, da NRA e afins, esses precisavam ser extintos da face da terra. Acontece que por la ainda existe oposição real, oposição ideológica que se defendeu e continua a se defender e defender a constituição daquele país. Há dois dias foi amplamente divulgada na imprensa Americana que a Receita Federal (IRS) mirou especificamente conservadores de direita em 2011 e 2012 com a finalidade de persegui-los politicamente para garantir a reeleição de Obama.

IRS official knew in 2011 of ‘Tea Party’ targeting

Ways and Means to IRS: ‘Provide All Communications Containing Words ‘Tea Party,’ ‘Patriot,’ or ‘Conservative’

Aqui temos a onda “pragmática” tentando assumir o espaço deixado pelo que restou de oposição no Brasil, como a inflação dispara, a economia patina, o país padece infraestruturalmente e a violência cresce assustadoramente em função de anos e anos de políticas socialistas vigentes, surge essa nova “categoria” política/ideológica, os pragmáticos amorfos, que querem fazer “oposição” ao PT e a base alugada, mas sem confrontá-los com seus crimes e delitos. Lembrando que os esquerdistas jamais tiveram algum senso de responsabilidade e honestidade enquanto estavam na oposição, mesmo que seus adversários jamais tivessem praticado terrorismo e outros crimes de apoiar ditaduras homicidas como dos irmãos Castro.

Agora essa mesma esquerda desesperada com o ressurgimento de pessoas que confrontem esses fatos, tenta incutir e disseminar que ideologia é “crime”, algo retrogrado. Claro que os marxistas não querem ter expostas suas relações com os narcotraficantes, terroristas de todos os tipos, islâmicos, sequestradores, assaltantes de banco, invasores de propriedade privada entre outros, na verdade seria como abrir a caixa de pandora da historia esquerdista.

Com isso tentam desesperadamente uma forma de ter uma “oposição na coleira”, domesticada, como vem fazendo o P$D com seu trigésimo nono ministério. A melhor forma hoje da esquerda se manter no poder é acabar com a oposição ideológica, que confrontem fatos sensíveis como destruição da entidade familiar, o aborto, a perseguição religiosa sofrida por cristãos como na Nigéria e em outros países islâmicos, os ataques a propriedade privadas pelos MST e Funai, que também ocorrem na África do Sul com fazendeiros locais e tantos outros assuntos “polêmicos”.

“Vamos todos abandonar esse negocio de ideologia e nos dedicar apenas a falar estritamente de economia e como encher os bolsos do governo com impostos,” afinal trabalhamos 2,600 horas por ano para isso.

E tem “inocente útil” caindo na conversa, botando o pescoço para dialogar com a corda marxista.

Convencionou-se que somente os neutros (pragmáticos) podem criticar “construtivamente” a esquerda, tudo em nome da tal “governabilidade”, criando um falso sentimento de que se posicionar a direita é ruim e contraprodutivo. “Devemos usar o rótulo à nosso favor, e não ficarmos nos esquivando dele. Além do mais é necessário que comecemos a sistematizar o que de fato é a “direita brasileira”, ou seja os principais pontos que nos unem, e então nos mobilizarmos para o confronto democrático com as forças de esquerda”. Como alguém que vive na neutralidade, somente atuando passivamente e pontualmente de acordo com as demandas da concorrência tem condições de representar uma parcela do eleitorado? Não tem, é apenas mais um no meio de muitos fisiologistas.

Max Weber disse “Neutro é quem já se decidiu pelo mais forte”.

O maior beneficiário do fim dos rótulos ideológicos será justamente a esquerda que jamais terá confrontadas suas bandeiras marxistas, continuando a usá-las indiscriminadamente, pois a verdade jamais vira a tona nesse caso.