Tags

, , , ,

Pelo amor de Deus… Não vamos nos enganar com PROPOSTAS “paliativas” absurdas!

Essas terras são propriedades privadas legais, com documentos concedidos pelo próprio governo federal, que estimulou esses indivíduos a colonizarem essas regiões anos atrás. Esses produtores compraram essas terras legalmente do estado ha muitos anos, quando o próprio estado criou programas para colonizar e desenvolver essas regiões. Onde estavam os índios quando só havia “mato” e atraso nesses locais?

Há 40 anos atrás quando muitos gaúchos, paranaenses, catarinenses, paulistas em grande maioria e produtores rurais de outros estados deixaram para trás suas vidas constituídas, vendendo o que tinha em seus estados natais e migrando para um local inóspito, sem infraestrutura alguma (muitos ainda não tem ate hoje) para construir um patrimônio e prosperar, consequentemente desenvolvendo a região, ONDE  ESTAVAM OS ÍNDIOS, A FUNAI E AS ONG’S PARA RECLAMAR ESSAS TERRAS?

LOGICO QUE NÃO APARECERAM, AFINAL “QUEM QUER” UM MONTE DE MATO IMPRODUTIVO, SEM LUZ, COMUNICAÇÃO, ÁGUA, E MEIOS DE ACESSO? QUEM QUER FICAR ISOLADO NO MEIO DO NADA A DIAS DE DISTANCIA DE UM MEDICO OU UMA FARMÁCIA?

ESSAS TERRAS NÃO SÃO DE ÍNDIOS! SÃO DOS PROPRIETÁRIOS LEGAIS QUE CONSTRUÍRAM A RIQUEZA NESSES LOCAIS.

Não podemos permitir de maneira nenhuma que essas áreas se tornem terras de ninguém, reservas indígenas como Raposa Serra do Sol, mesmo que sejam desapropriadas legalmente e os proprietários recebem indenização.

Quem vai pagar a indenização somos nós, todos os contribuintes, inclusive os donos das terras vão arcar com os custos, pois o governo não gera riqueza, ele usa nossos impostos. NÃO TEM LOGICA NOS PAGARMOS A DESPROPRIAÇÃO DE UMA ÁREA LEGAL PARA TORNÁ-LA UM ÔNUS A NAÇÃO. ESSAS ÁREAS NÃO PODEM SER TIRADAS DE SEUS PROPRIETÁRIOS POR VONTADE DO ESTADO SOCIALISTA.

Eu não quero meu dinheiro servindo para criar zonas de estado paralelo, dominadas por narco terroristas marxistas, que vão consumir mais dos nossos impostos para destruir ainda mais o Brasil. Afinal, essas áreas não produzem nada, A NÃO SER MISÉRIA, CRIMES E DESGRAÇA e ainda por cima demandam recursos do estado, NOSSOS IMPOSTOS, para respectiva “manutenção” de sei lá o que!

Temos que pagar imposto para os índios ganharem terra, depois pagamos impostos para eles serem sustentados pelo estado sem fazer nada e pagamos impostos para esses inimputáveis cometerem crimes contra nós!

Chega de demagogia! Querem terras, comprem de acordo com as leis e as regras do livre mercado!

Nunca houve índios nessas áreas… os próprios professores marxistas nos ensinavam isso na escola… índios queriam terra fácil, normalmente em áreas costeiras… E ainda querem terras fáceis, isso é oportunismo, o estado tem milhões de hectares de mata, POR QUE NÃO INSTALAM ESSAS RESERVAS NESSAS ÁREAS FEDERAIS? NÃO É PARA PRESERVAR OS COSTUMES DOS DITOS ÍNDIOS?  Esses índios queimavam áreas para plantar uma coisa ou outra, quando essas áreas tinham sua fertilidade exaurida, eles abandonavam-nas e queimavam outra are, belo exemplo de “sustentabilidade”, se fosse pelos índios hoje o Brasil todo seria um monte de cinzas improdutivas.

OS PRODUTORES NÃO PODEM PERDER TERRAS LEGAIS EM HIPÓTESE ALGUMA PARA MEMBROS DE UM ESTADO PARALELO, PARA ESSA GUERRILHA TERRORISTA DE “SEM TERRAS” E ÍNDIOS.

Todos Brasileiros serão severamente afetados, alguns diretamente e outros indiretamente.

A CNA e outros entes da agropecuária nacional falam que os índios precisam de terra mas que os produtores precisam ser indenizados (tudo muito bonito para o politicamente correto), então que se coloquem eles nas terras estatais. É um absurdo colocá-los em áreas privadas. Uma ova, isso é burrice ou delinquência, COMO ASSIM INDENIZAR UM PRODUTOR COM O DINHEIRO DE SEUS TRIBUTOS, PARA DAR A TERRA A UMA CORJA MUITO SUSPEITA? Dessa forma que esta sendo proposta estamos botando o nosso pescoço na forca, pode parecer bacana falar em indenização e lógico que é necessário para quem perdeu suas terras injustamente, isso seria o mínimo. Mas isso é utópico, surreal, pois nos mesmo estamos pagando essas indenizações e para que? Para tornar terras produtivas em zonas de crimes e atraso.

Ninguém esta sendo verdadeiramente indenizado, estamos sendo enganados e lesados, pois usam o nosso próprio dinheiro para pagar por nossas propriedades privadas que estão sendo expropriadas ilegalmente pelo governo marxista. Como pode ser justo e compensatório o estado pegar meus impostos e usá-los para desapropriar algo que é legalmente meu, e ainda desapropriar ilegalmente. É bem provável que algum inocente útil ainda caia nessa conversa fiada achando que se o estado indenizar o produtor a expropriação será justificável.

Isso não é indenização, isso é enganação.

Se o estado quer dar terras para índios preservarem a sua dita “cultura”, que deem as terras estatais, improdutivas, com toda mata nativa em cima, afinal, cultura de índio é isso, mato, caçar e pescar artesanalmente, coletar, se tratar com pajé. Agropecuária, internet, Hilux, celular, medicina moderna, curso de idiomas não faz parte da cultura indígena e nossos impostos não podem ser usados para isso.

A quantidade de índios brasileiros saiu de 294 mil em 1991 para 896 mil agora, segundo o Censo do IBGE. A presidente da Funai diz que não houve uma explosão na taxa de natalidade (sério?), mas que isso é fruto da queda do preconceito. Deixa eu ver se entendi: o governo criou privilégios para os “índios” (aqueles que usam jeans, celular e tem TV parabólica, mas que colocam um cocar quando chegam as câmeras da gente da TV), e a quantidade de gente que se declara índio explodiu? Uau! Que mistério!

Aconteceu a mesma coisa na Austrália, com os aborígenes. Que coincidência, não?! A elite branca culpada cria uma espécie de zoológico humano, cedendo terras aos “nativos” para expiar sua culpa (sabe-se lá qual, meus pais e avós jamais mataram um único índio), e depois ficam espantadas com o crescimento da população indígena? Gente, são quase 15% do território nacional de brinde. Índio quer apito! Alguém tem um cocar, um arco e umas flechas para me emprestar?

“O Brasil tem hoje nada menos de 13% do seu território destinados a reservas indígenas. No mais das vezes, o que se produz por lá são pobreza, miséria e ignorância. As comunidades que conseguem escapar desse destino se organizam sem dar bola para a Funai. E isso pode ser feito de maneira virtuosa ou viciosa, como se constatará mais adiante. Vejam como é distribuído o território brasileiro.

Vocês entenderam direito. A agropecuária ocupa, no Brasil, 329.941.393 de hectares; desse total, 98.479.628 são áreas de preservação dentro das propriedades. Logo, os proprietários rurais brasileiros preservam 29,84% das terras que constam, oficialmente, como destinadas à sua atividade. Como o Brasil tem 851 milhões de hectares, isso significa que agricultura e pecuária ocupam apenas 27,2% do território brasileiro (231.431.765 milhões de hectares). Estudos mais recentes falam em 27,7%.

Fizeram as contas? Em pouco mais do dobro do que se reserva aos índios, os produtores brasileiros conseguiram desenvolver uma das agropecuárias mais avançadas do mundo — único setor da economia que impede o país de ir para o buraco. Não obstante, é o que mais apanha: da imprensa, das ONGs, dos ecologistas, do MST, de qualquer politicamente correto em busca de uma causa ou de um nativo para chamar de seu.

 Leituras recomendadas:

O Mato Grosso do Sul pede socorro – Os crimes continuados da Funai contra agricultores brasileiros, contra a economia, contra o bom senso e contra os… índios! Ou: A incrível história de uma comunidade de 4 mil pessoas destruída pelo governo petista

Dois pré-candidatos ao Supremo. Ou: Talvez os produtores rurais brasileiros devam se mudar para o Paraguai!

O Brasil nunca pertenceu aos índios