Tags

, , , , , , , , , , ,

Sete reais, esse foi o preço da vida de turista morto no Guarujá, cidade no litoral de São Paulo.

Segundo a polícia, Mário Sampaio foi jantar em um restaurante, que fica no bairro Enseada, por volta das 19h30. Ele estava acompanhado de três amigos e a namorada. A confusão começou quando ele foi pagar a conta e teria se recusado a pagar o valor de R$ 19,99. Ele alegou que o valor divulgado na entrada era de R$ 12,99. Os garçons e o gerente começaram a agredir o jovem e quando ele ligou para a polícia o dono do estabelecimento foi na cozinha, pegou uma faca e depois esfaqueou  3 vezes o jovem na costa.

Vamos analisar o fato

Na lógica dos desarmamentistas, nós deveríamos banir as facas também, elas matam assim como as armas de fogo. Mas não, não vi nenhum grupo de direitos humanos se indignando com isso ou levantar a hipótese de se banir armas. Agora vamos a lógica de uma forma correta, se o jovem ou um dos seus amigos tivesse um arma para defesa própria, certamente os garçons e nem o gerente teriam atacado o jovem e muito menos o dono teria o esfaqueado.

Mais uma vez podemos concluir que o mal está nas pessoas, em seus corações e mentes, não nos objetos. Se esse jovem tivesse no mínimo um revolver .32, não teríamos uma vida sendo ceifada por apenas 7 reais e de uma forma brutal.