Notícia interessante publicada na página da Folha de Caxias anuncia a tentativa de refundação do Partido Aliança Renovadora Nacional (ARENA). O artigo original pode ser lido aqui.

Cibele Bumbel Baginski providencia documentação para o registro do partido. Foto de Gabriel Lain.

A Arena pode ressurgir como partido político. Pelo menos esse é o desejo de um grupo de jovens de Caxias que começou a mobilização via internet e, segundo a estudante de Direito, Cibele Bumbel Baginski, 22 anos, uma das idealizadoras da formação de um novo partido, a futura sigla já tem apoio de pessoas de várias partes do Rio Grande do Sul, Minas Gerais, São Paulo, Sergipe e Pernambuco, e aguarda confirmação do Rio de Janeiro. A intenção é expandir a mobilização por todo o país.

Cibele diz que de Caxias, são 40 pessoas envolvidas, além de integrantes da região e de outros locais do Estado. Devido ao ­período pré-eleitoral, ela prefere não divulgar nomes de integrantes do grupo apoiador pelo fato de alguns estarem envolvidos com atuais ­pré-candidatos. Cibele já foi filiada ao DEM, é natural de Porto Alegre e moradora de Caxias há quatro anos. Ela justifica a intenção de formar um partido político pela necessidade de algo que diferencie-se dos “interessismos” vistos nas dezenas de partidos no Brasil.“Com um perfil mais conservador e nacionalista”, reforça Cibele.

A opção pela Arena, exatamente como o partido extinto em 1979, Aliança Renovadora Nacional, foi decidida nesta semana. A Arena, à época do bipartidarismo, foi fundada em 1966 para dar sustentação política ao governo militar.

Cibele é a responsável pelo encaminhamento do registro do partido em questão. Para que a ideia vingue, diz ela, é necessária a adesão de 500 mil assinaturas e 101 nomes de fundadores, o que permitiria o registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), além de sede em Brasília e registro em Cartório na capital federal.
“Assim que estiver tudo organizado sairemos em busca das assinaturas. Mas em alguns estados isso já está ocorrendo”, garante Cibele, otimista, acreditando que dentro de dois meses será possível encaminhar o registro ao TSE.Quanto à possibilidade de reativar a Arena, Cibele diz que manteve contatos com o TSE e a informação é de que não haveria problema jurídico. Convicta de que a iniciativa dará certo, ao ser questionada sobre a possível volta da Arena, Cibele dispara:

“Se Deus quiser!”.