O artigo é fictício. Qualquer semelhança com fatos ou indivíduos reais é apenas algo lamentável.

O senhor Rogério de Souza, fervente militante do PCdoB, dedicou todo o dia de ontem a criticar com força e veemência a violências nos Estados Unidos, a raíz do massacre de Aurora. Logo depois, em um ato de coerência absoluta, enviou um par de tweets em apoio ao governo da Síria, antes de ir tomar seu café do McDonald’s.

“A culpa de cada um destes mortos é do capitalismo, do imperialismo e sua sede insaciável por lucros. E perceba que estou dizendo isto agora antes de discutir isto com amigos meus do PSOL e do PT, para que veja que não somos incapazes de ter pensamentos próprios; isto é algo que creio de coração” afirmou Rogério, em um dos pensamentos mais lógicos e centrados que teve nos últimos anos. “É uma sociedade onde é mais fácil conseguir uma arma que uma bebida, por exemplo. Qualquer um pode ir comprar uma arma. Isto não acontece aqui. Aliás, é até um tabu sequer tentar debater uma proposta de desarmamento como estamos fazendo nos governos progressitas da América Latina. Lá, as crianças crescem em uma atmosfera de muita pressão, vendo filmes violentos e jogando videogames sangrentos. Já aqui, por exemplo, temos uma cultura de fraternidade e solidariedade. Lamentavelmente massacres como o de Aurora se repetirão inúmeras vezes.” refletiu Rogério, enquanto limpava o vidro traseiro do seu Hyundai.

Depois do café e de dar uma esmola a um pedinte, Rogério prosseguiu em suas interessantes reflexões. “Mais uma vez o imperialismo tinge suas mãos de sangue. Minhas orações vão para cada uma das vítimas inocentes deste sistema perverso. É por isso que defendo o socialismo na internet, em casa ou no meu iPhone, pelo twitter, pelo Facebook. Hoje mesmo enviei uns tweets em apoio ao governo de Al Assad declarando toda minha solidariedade ao povo sírio, que é nosso irmão. Resista ao golpe, Al Assad. Mantenha-se firme custe o que custar. Nossa luta é contra tudo que oprime. Venceremos.”