As cotas raciais vistas por um universitário negro

O sistema de cotas beneficia parte dos negros, os que possuem arcabouço educacional para alcançar uma universidade, mas não os reais necessitados, os pobres de diversas etnias.

Divulgando este excelente artigo de Éder Souza sobre as cotas raciais para o Amálgama. Para ler o artigo, clique aqui.

Anúncios

4 comentários em “As cotas raciais vistas por um universitário negro”

  1. Seu argumento não leva em consideração a história do negro no Brasil. Este argumento de que o problema do negro no Brasil não é de cor e raça e sim econômico (democracia racial), é o argumento predileto da classe dominante que para manter seus privilégios seculares, precisa manter o negro quietinho, satisfeito, anestesiado, como fez a igreja católica nestes quase 4 séculos de escravidão no Brasil. As leis (ventre livre, sexagenário) vieram para atender os interesses dos senhores de engenho e não o negro. Já naquela época, o escravocrata que ficasse com a criança (ventre livre), receberia indenização do estado e ainda poderia aproveitar o serviço desta até os 21 anos. Sexagenário: O negro envolto ao trabalho escravo não durava 60 anos e quando isso acontecia, não estava mais hapto ao trabalho pesado, tornava-se um estorvo para o senho. Era liberado, sem direito, sem asilo, ia morrer na beira das estradas. este jovem negro deveria ler mais sobre o assunto. sugiro Gilberto Freyre, Sérgio Buarque, Caio Prado Jr. e o artigo O mito revelado de Florestan Fernandes. Vá se informar!! Ass. Prof. Jorge Oliveira/Araras-SP.

    1. Levar em consideração a História do Negro já é um erro histórico. A escravidão não era baseada na cor, tanto é que filho de escravo era escravo mesmo que fosse branco. Outra coisa que mata este apelo é o fato de que os negros não eram todos escravos, havendo entre eles comerciantes (sinhás pretas) ou mesmo traficantes de escravos.

      Ah, e sem essa de argumento da classe dominante. Apelou pro classismo, pro preconceito e pra conspiranóia perdeu, filho.

    2. Eu sugiro literatura mais atualizada sobre Escravidão no Brasil… estes aí do século XX e da era da historiografia marxista já estão ficando ultrapassados.
      Também é propaganda antirreligiosa afirmar que a Igreja apoiou a escravidão. Está bem registrado na História a oposição da Igreja à escravidão e o auxílio que prestava à causa abolicionista, até mesmo comprando alforrias.

      1. O que me eixa indignado com a resposta desse prof., é que o mundo todo tem uma das maiores provas de que escravidão nao tem nada a ver com negros…e mesmo assim ninguém se dá conta…..Afinal, na Bíblia temos as histórias do povo judeu que foi escravizado pelos egípcios, nao é mesmo?Os judeus eram negros?rs
        Esse é apenas um dos vários exemplos….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.