Tags

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Suponho que todos os leitores do blog ou tem ou já tiveram contato com a disciplina de História. Não duvido que muitos, assim como eu, devam ter achado ela um saco no colégio mas descobriram depois que ela não precisa ser aquela coisa maçante e repetitiva. Felizmente, a internet nos abriu possibilidade para interagir um pouco mais com a História através de exposições online, reconstruções históricas, mapas tridimensionais, jogos, música, etc.

A História do Brasil para muitos, entretanto, permanece um tédio. A História do país parece não despertar o interesse das pessoas. Ou é isso, ou o brasileiro realmente tem memória curta (Fernando Collor é prova viva). Talvez o desinteresse pela História seja o causador dessa amnésia coletiva.

Um dos problemas da nossa historiografia é que não conhecemos muito bem o que se passava aqui antes da chegada dos portugueses. A nossa história é contada pela perspectiva de navegantes que ousaram chegar às Índias por um caminho diferente e acabaram por aqui. O modo como é contada a história não varia muito de como ela é contada em países americanos de colonização espanhola: ou temos relatos dos conquistadores – sempre heróicos e triunfando sobre hordas de bárbaros; ou temos relatos daqueles que tratam os índios como meros sujeitos da história, sempre passivos ou reativos, nunca com uma vontade própria.

Esta série tem por objetivo acabar um pouco com a imagem do índio passivo, submisso, paz e amor. Vamos desmistificar a imagem do bon savage, e trazer à luz da realidade a história dos índios contada de uma maneira diferente. Embora não disponhamos de abundância relatos históricos dos próprios índios (eram povos ágrafos) da época, podemos reconstruir a história a partir de relatos daqueles que entraram em contato com eles.

Basicamente, a série vai abordar:
1. Precedentes: as navegações e a colonização européia nas Américas.
2. Terra sem dono?: um perfil da América antes da chegada dos europeus.
3. Os povos nativos do Brasil: quem eram, onde estavam, como viviam, o que faziam.
4. Os estrangeiros: traficantes, comerciantes, degredados, colonizadores, missionários.
5. Tecnologia: as armas, as tecnologias, as táticas e estratégias de combate de cada  povo.
6. A guerra: os conflitos, as batalhas, as sublevações envolvendo tropas estrangeiras e tropas índigenas.

Tudo isto será abordado, por mim, a partir da semana que vem. Aguardem.