Tags

, , , , , , , , , , , , , , , , ,

A política brasileira, de um certo modo, está viciada. Os partidos concorrem entre si para ver qual é o mais progressista, qual o mais assistencialista e qual vai aderir mais rápido à agenda da ONU. Nosso espectro político começa na extrema-esquerda e, com exceção de um partido de expressão (Democratas), termina na centro-esquerda. Partido Conservador não temos desde que Vargas o aboliu em 1930. Os poucos partidos que tem “liberal”, “cristão” ou “republicano” no nome são pouco expressivos na defesa dos princípios que deveriam guiá-los ou tem pouca força para manifestar a opinião do seu eleitorado.

Em nossas eleições para Presidência em 2010, nada mais nada menos que 26,76%  dos brasileiros – somadas abstenções, votos brancos e nulos – não escolheu candidato algum. Ou seja, um quarto dos brasileiros simplesmente não decidiu quem estaria na presidência. Isto é um claro indicador de que há espaço na nossa política a ser preenchido. Significa que há anseios do povo que não estão sendo atendidos pelos partidos encardidos que temos hoje.

Mas esta situação pode mudar. Nada mais nada menos que 20 novos partidos buscam seu registro junto ao TSE, e diversos movimentos políticos não-partidários tem surgido no Brasil, também, para fazer ouvir as demandas do cidadão.

Meu objetivo hoje é mostrar para vocês quais são os grupos, movimentos e partidos mais promissores para mudar a cara da nossa política.
São eles:

Conservadores (CONS)

Criado há cerca de dois anos, tem como propósito difundir e estudar as idéias políticas e sociais alinhadas com o conservadorismo.

Por que é promissor?

O cidadão brasileiro tem se mostrado cada vez mais receptivo aos ideais conservadores. Isso fica bastante claro nas manifestações públicas contra o aborto, a corrupção, a doutrinação política nas escolas, o racismo institucional e as tentativas por parte dos partidos no governo de criminalizar e censurar as opiniões dos cidadãos cristãos em geral. Esta tendência indica não só um amadurecimento do brasileiro com relação à política como também um renascimento da direita política democrática brasileira.

Partido Federalista (PF)

Fundado em 7 de setembro de 1998, e tem por objetivo aumentar a autonomia administrativa, legislativa, judiciária e tributária das Unidades Federativas brasileiras.

Seu símbolo é uma árvore estilizada com as cores da bandeira nacional – verde, amarelo e azul. Seu lema é “Autonomia é o Caminho”.

Por que é promissor?
Considerando a extensão do território nacional, a diversidade histórico-cultural de cada região e a sua divisão administrativa, a descentralização é a melhor alternativa para a gestão eficiente. O Partido Federalista busca resgatar o federalismo brasileiro – tão castigado por períodos de intensa centralização como a Era Vargas e o Regime Militar – e dar mais autonomia para os estados da União.

Libertários (LIBER)
Fundado em junho de 2009, visa difundir os preceitos do Libertarianismo, doutrina filosófica baseada nos princípios da não agressão e da auto-propriedade.

Por que é promissor?
O Libertarianismo defende a maximização das liberdades individuais, devolvendo às pessoas o direito de determinar a condução de suas vidas e de realizar suas escolhas de acordo com suas próprias consciências, desde que sem iniciar agressão contra terceiros, possibilitando, assim, o pleno desenvolvimento de suas capacidades e felicidade. O Libertarianismo abomina qualquer intervenção violenta na vida e nas escolhas das pessoas, seja ela promovida por outros indivíduos ou por grupos. Ou seja, é um grupo que defende os direitos e liberdades individuais, repudia o assistencialismo, a burocracia e a intervenção e centralização da Economia.

Partido Pirata (PPBr)
O Partido Pirata é um movimento que surgiu no Brasil no final de 2007 a partir da rede Internacional de Partidos Piratas, organização pela defesa ao acesso à informação, o compartilhamento do conhecimento, a transparência na gestão pública e a privacidade – direitos fundamentais que são ameaçados constantemente pelos governos e corporações para controlar e monitorar os cidadãos.

Por que é promissor?
O Partido Pirata tem como um dos seus principais motivos de ser a total revisão dos direitos autorais e da propriedade intelectual. O que ele promete é a desregulamentação das atividades de compartilhamento de arquivos na internet, a promoção de políticas de inclusão digital, a adoção dos softwares livres nas instituições públicas, o investimento em tecnologia voltada para a educação, e a defesa radical da privacidade do cidadão brasileiro.