Sem polícia

Depois da Polícia Militar da Bahia entrar em greve, as Policias Civil, Militar, o Corpo de Bombeiro e outros servidores públicos do estado do Rio de Janeiro também entraram em greve reivindicando melhores salários e condições de trabalho, justamente às vésperas do Carnaval. Desse modo colocam o governador Sérgio Cabral (PMDB) na mesma berlinda que Jaques Wagner (PT), uma vez que Rio de Janeiro e Salvador são cidades referências no carnaval brasileiro. O medo de arrastões, assaltos e outros crimes fazem com que os comerciantes fechem suas portas, logo os turistas amedrontados tendem a escolher outros destinos e a população fica a mercê de sua própria sorte.

De acordo com a Constituição Federal, militares não podem fazer greve. Porém, o salário desses homens é baixo perto do risco que eles enfrentam (o que não justifica a greve), e o pior foi o Governo Federal anunciar o corte de 1,03 bilhões de reais nas verbas de segurança pública enquanto a presidente Dilma Rousseff critica as greves. Porém ela esquece que o partido dela, o PT, quando era oposição adorava fomentar greves em datas “criticas”. Aliás, o partido que está por trás da greve na Bahia e tem parte na greve do Rio de Janeiro é o PSOL, formado por antigos membros do PT.

A bandeira vermelha denuncia: tem agitador político no meio.

Bom caro leitor, agora que você está inserido no assunto vou abordar uma questão que as greves trouxeram: sem policiamento estamos totalmente vulneráveis aos criminosos. Mas isso não ocorreria ou teria menor efeito caso boa parte da população tivesse armas em casa para a sua legítima defesa. Essas greves, além de denunciarem as péssimas condições de trabalho e salário dos policiais e o descaso do Governo Federal com a segurança pública, também nos alertam sobre o risco que é a segurança ficar somente nas mãos do Estado, ainda mais quando esse Estado dificulta o direito de um cidadão portar legalmente uma arma de fogo. Nos Estados Unidos, o direito de portar armas de fogo está na segunda emenda da Constituição, inclusive é uma clausula pétrea

 Sendo necessária à segurança de um Estado livre a existência de uma milícia bem organizada, o direito do povo de possuir e usar armas não poderá ser impedido.

 
Enfim não podemos deixar nossa segurança e até vidas sob monopólio do Estado. Devemos ter o direito de legitima defesa. Pois, se somos livres, temos que ser livres para nos defender também.

Links uteis:

http://pelalegitimadefesa.org.br/nblog/?cat=35
http://www.facebook.com/campdoarmamento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.